TCE AVALIZA DECISÃO QUE PODE ACABAR COM OBRAS DO HEURO E ROCHA FALA EM INTERVENÇÃO COM VIÉS POLÍTICO

TEM ALGUM RESULTADO PRÁTICO DA PRESENÇA DO PEQUENO CONTINGENTE DA FORÇA NACIONAL EM RONDÔNIA?
26 de julho de 2021
QUEREM DAR AO PAÍS UM ATESTADO DE QUE SOMOS IDIOTAS? STF NEGA TER TIRADO PODERES DE BOLSONARO
29 de julho de 2021

O caso Heuro continua na pauta. Primeiro, por resultado de uma longa entrevista, concedida pelo governador Marcos Rocha ao apresentador e jornalista Everton Leoni, no programa SIC News, nesta última segunda-feira, em que o Governador falou, com todas as letras, que a intervenção do Tribunal de Contas do Estado, depois que todo o projeto já estava em andamento, tinha claro viés político. Não deu nomes, mas afirmou que familiares de políticos interessados em que o projeto não ande e que atuam no TCE-RO, estariam participando da tentativa de inviabilizar a obra. Rocha não deu nomes, mas nos bastidores, todos sabem a quem ele se referia. É assunto público e notório. Não há quem, nos meios da nossa conturbada política, que não saiba disso. Rocha continuou sem citar nomes, mas deixou claro que há também outras forças agindo para que o Heuro não saia do papel. Do outro lado da moeda, o conselheiro Valdivino Crispim, que deu um parecer destroçando tudo o que o governo já fez para tentar construir o novo hospital, não está sozinho. Na terça, o presidente do Tribunal, conselheiro Paulo Curi, ao lado do ex-presidente e um dos nomes mais respeitados da instituição, o conselheiro Edilson Silva, numa coletiva à imprensa, deixaram claro que o tribunal concorda com a posição de Crispim. Participaram ainda do encontro com jornalistas, o procurador geral do Ministério Público de Contas, Adilson Moreira e o secretário geral de controle externo do TCE, Marcus Santos Filho. Embora tenha estado silente durante todo o processo liderado pelo Governo do Estado e, mais ainda, durante os 75 dias em que o edital de leilão estava liberado ao público, para eventuais contestações, o TCE do Estado esperou que tudo estivesse pronto, para só então intervir e interromper todo o processo. Nas alegações, vê-se que há tantas irregularidades, tantos malfeitos, tantas suspeitas de risco de roubalheira do dinheiro público, que, supõe-se, todos os envolvidos no projeto vindo da administração estadual ou são desonestos ou são de uma incompetência atroz. Pelo menos é o que se deduz da duríssima decisão do conselheiro Crispim, agora avalizada publicamente pelo Tribunal, como um todo.

No final das contas, fica claro mesmo é que o grande prejuízo será, novamente, da população rondoniense. Ela é enrolada há 30 anos, por políticos, mandatários, instituições, entidades, enfim, por todos que teriam a responsabilidade de, nesses anos todos, terem dado um jeito de construir um Pronto Socorro decente para a Capital e nunca o fizeram; Agora, outra vez corremos o risco de ficar sem o hospital. A única coisa boa nisso tudo é o peso da História. Ela é implacável, como tem sido com os que nada fizeram para termos um hospital de qualidade. Que seja contada com todos os seus detalhes, às futuras gerações. Que, pelo jeito, elas também, não terão Pronto Socorro algum, na maior cidade do Estado!

MPF QUER IMPEDIR AUDIÊNCIAS PÚBLICAS SOBRE LICENÇA AMBIENTAL DA BR 319

Só quem é cego, idiota ou desinformado, poderia imaginar que o Ministério Público Federal iria ficar inerte, com a proximidade das audiências públicas para debates sobre questões ambientais, que iriam autorizar, sem dúvida, o asfaltamento de toda a BR 319, de Porto Velho a Manaus. Um ofício assinado pelo procurador da República Rafael Rocha, determina que sejam suspensas as audiências públicas que iriam tratar do tema. A proibição envolve audiências tanto presenciais quanto virtuais, segundo o documento encaminhado a Jônatas Souza da Trindade, diretor de Licenciamento Ambiental do Ibama. O MPF de Rondônia é o patrocinador desta causa. Em outras ocasiões, é o MPF do Amazonas quem propõe ações contra a obra. Isso se repete há décadas, ou seja, fica claro que a instituição não aceita a BR 319 reasfaltada e vai buscar todas as formas legais de impedir que isso ocorra. E o fará, é claro, com apoio de parte da Justiça Federal, que, há vários anos, tem acatado as propostas do MPF que significaram neste imenso atraso na BR, vital para a região norte e para seus mais de 20 milhões de habitantes. É apenas mais um episódio. O mesmo do mesmo. Ou seja, esse escriba continua achando que essa obra jamais sairá do papel, porque, contra ela, há forças poderosas.     

 

 GRUPO PROTESTA CONTRA QUEIMADAS TENTANDO O SUICÍDIO PELA BURRICE

 Quando a idiotice ideológica não tem cura, o que se há de fazer? Descerebrados, dizendo-se membros ativistas de uma tal  “Esquerda Paz e Amor”, que, entre outras missões na vida se dizem antifascistas, embora a grande maioria não tenha a mínima ideia do que isso quer dizer, iniciaram, em várias cidades brasileiras, uma campanha em defesa do meio ambiente e, principalmente contra as queimadas. E como os geniais membros deste grupo que pretende mudar a história ambiental do país fazem seu protesto? Isso mesmo! Ganhou 10 dólares do governo fascista dos Estados Unidos (segundo eles!), quem respondeu: fazendo grande queima de pneus! Seria cômico, não fosse trágico! Infelizmente não é brincadeira de mau gosto. Está nas redes sociais. É só procurar no Google, por exemplo. O protesto dos idiotas é feito com material que produz gás tóxico, como o monóxido de carbono, dióxido de enxofre e óxidos de nitrogênio. Ainda bem que os malucos não ficaram perto da queima dos pneus, porque poderiam cometer suicídio causado pela burrice, uma perigosa causa mortis que assola esse país!

 

 

GUERRA AO VÍRUS: MAIS DE 926 MIL RONDONIENSES JÁ FORAM VACINADOS

Não tem como não destacar a mudança radical de tratamento que o Ministério da Saúde tem dado a Rondônia, desde que recebemos aqui a visita do ministro Marcelo Queiroga, há cerca de um mês. A pressão do governo do Estado, da bancada federal e dos prefeitos, principalmente do da Capital, Hildon Chaves, trouxe sim resultados concretos, porque estávamos sendo maltratados, senão distratados pelo MS, que nos enviava doses sempre parcas. A situação mudou completamente. Até a terça-feira, tínhamos recebido já um total de 1 milhão e 140 mil vacinas. Outras 78.300 chegaram em apenas 24 horas: 40.500 na terça, mais 37.800 na quarta. Certamente todos esses números permitirão um salto na imunização dos rondonienses que, aliás, nas últimas semanas, já receberam, em seus braços, milhares de vacinas da Astrazeneca, Coronavac, Pfeizer e Jansen. No Boletim 494 da última terça, ou seja, sem contar as mais de 78 mil doses que recém chegaram, já haviam sido aplicados 926.902 imunizantes. Foram 690.036 da primeira dose e 236.566 da segunda. Ou seja, já tínhamos, até a noite da terça, mais de 236 mil rondonienses totalmente blindados contra o vírus, com as duas doses. Porto Velho aplicou 274.689 vacinas, do total de 329.632 que havia recebido até aquele dia.

 

 BOLSONARO CRIA O 23º MINISTÉRIO: OITO A MAIS DO QUE ELE PROMETEU NA CAMPANHA

 O discurso de candidato é uma coisa, a prática é outra. Uma das promessas do então candidato Jair Bolsonaro que mais encantou grande parte do eleitorado brasileiro, foi a promessa do enxugamento dos ministérios. O governo Dilma Rousseff, o último do petismo, chegou a ter um total de 39 ministros. Bolsonaro prometeu aos brasileiros que iria diminuir para 15, além de impor um grande emagrecimento da máquina estatal. Cumpriu em parte, já que o enxugamento é notório. Mas, para sobreviver na política brasileira, não há como não abrir mão de convicções radicais. Ou abre as portas (ou as pernas, como queiram!) ou acaba defenestrado do poder, pela malandragem dos nossos poderosos congressistas e ministros do Supremo. Até junho do ano passado, quando recriou o Ministério das Comunicações, o atual governo tinha 23 ministérios. Agora são 24, o do Trabalho e Emprego. Ao levar o senador do Centrão Ciro Nogueira, aquele que é parceiro de quem quer que seja, desde que esteja no poder, para a Casa Civil, Bolsonaro teve que arrumar uma pasta para seu aliado de primeira hora, Ônix Lorenzoni. Já é a 24ª pasta. Faltam ainda 5, para ele alcançar as 29 do governo Temer, que o antecedeu e um número que ele, Bolsonaro, tanto criticava. Chega de Ministérios!

 

 SOCORRO NO CAPITALISMO: COOPERATIVAS DO MST VÃO AO MERCADO

 Não tem mais dinheiro público! Acabou o rio de grana que jorrava dos cofres do Estado. Como sobreviver então, num regime capitalista, onde não tem mais a grana preta dos cofres da Nação, que papai Lula e Mamãe Dilma, junto com sua turma, doavam, aos borbotões? O caminho lógico do grupo esquerdista, socialista e comunista (tudo isso é a mesma coisa!) Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra, o famigerado MST, é…aderir ao capitalismo. Isso mesmo. Ou corre atrás de dinheiro, agora conseguido pelo suor do trabalho ou é extinto. Acabou a mamata do dinheiro fácil, das invasões vistas com olhos fechados pelas autoridades de todos os níveis (invadir para vender para outros e fazer grana, porque, mesmo comunistas, a meta é ter grana e poder) e, então, vamos para o mercado. E é isso que o comando do MST está fazendo, de forma inteligente. Através de algumas de suas cooperativas legalizadas – e as há, sim senhor! – o grupo tenta captar 17 milhões e 500 mil reais no mercado financeiro. Os investidores que se interessarem, vão reservar títulos de renda fixa, para financiamento do cultivo de produtos agrícolas de sete cooperativas. O financiamento será usado para a produção de alimentos orgânicos e da agricultura familiar desta próxima safra. O capitalismo pode ser a salvação. E o MST decidiu: se não pode ganhar dele, una-se a ele! Que tenha sorte na sua estreia no mundo complexo do capital…

 

 NOSSA PECUÁRIA É DESTAQUE NACIONAL E LIDERAMOS PRODUÇÃO DE CARNE NA REGIÃO

 A pecuária rondoniense tem sim o que comemorar. Estamos caminhando para nos tornar o sétimo estado com maior rebanho do país, mas já o somos o maior de toda a região norte. É um setor com quase inacreditável desenvolvimento. Nos anos 70, no ápice do garimpo de ouro no rio Madeira e outros rios da região, praticamente não havia gado em Rondônia. Meio século depois, temos 15 milhões e 100 mil cabeças. Rondônia é a grande potência produtiva de carne e derivados da Amazônia e ocupa o primeiro lugar no ranking nacional de produtores, em área completamente livre da aftosa, sem vacinação. A Idaron tem grande participação nestes resultados positivos. A parceria governo e produtores resultou num grande trabalho de combate à aftosa, até que, neste ano, recebemos oficialmente o registro de área livre da doença, sem necessidade de vacina. Isso deu um salto na qualidade dos nossos produtos, que já são vistos como de excepcional qualidade, pelo mundo consumidor. Já comercializamos nossa carne com cerca de 40 países e estamos prestes a ingressar no Mercado Comum Europeu.

 

 PERGUNTINHA

 Você está preparado para enfrentar uma das maiores ondas de frio da história, inclusive em Rondônia, segundo preveem os meteorologistas para esta quinta-feira e próximos dias?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário