SERVE PARA QUE? ESTUDO PREVIA CATÁSTROFE DE 25 MIL INFECTADOS E 375 NA UTI, JÁ NESTA QUARTA-FEIRA

PUNIÇÕES, MÁS NOTÍCIAS, CURAS E PERIGOS: O VÍRUS QUE NOS APAVORA AINDA É O CENTRO DAS NOSSAS VIDAS
18 de abril de 2020
GOVERNADOR QUER EXPULSAR PESSOAS DE SUAS CASAS E DESAPROPRIAR IMÓVEIS. NÃO SERÁ O ESTADO DE SÍTIO?
21 de abril de 2020

A quarta-feira marca que estaremos em 22 de abril de 2020. Caso fossem verdadeiros os números catastróficos previstos por um estudo de especialistas da Unir, para o Conselho Regional de Medicina, o Cremero, a entidade que reúne os médicos de Rondônia, estaríamos com parte da população de 1 milhão e 700 mil rondonienses caminhando para algo perto da extinção. Pelo estudo, mostrado com estardalhaço, já nesta quarta-feira teríamos 50 mil rondonienses com suspeita de estarem contaminados com o corona vírus e pelo menos (pasmem!) 25 mil casos confirmados. Teríamos, pelo estudo tresloucado, daqui a menos de um dia, nada menos do que 7.500 pessoas internadas (e não as menos de meia dúzia da vida real) e, mais assustador ainda haveria, não os três casos reais desta segunda-feira, mas sim  375 pacientes internados em UTIs. Não se sabe onde, já que em todo o Estado existe atualmente menos de uma centena de centros de atendimento de urgência em hospitais. O excêntrico, exagerado e assustador estudo vai mais longe: avisa que até 2 de maio, ou seja, daqui a 12 dias, Rondônia teria 500 mil casos (isso mesmo: meio milhão) de pessoas passíveis de contágio; 250 mil infectados; 75 mil pessoas internadas (não se sabe onde!)  e, por fim, a soma da absurda e apavorante previsão: haveria, no início do mês que vem, 3.750 pessoas agonizando em UTIs. Ou seja, por quais motivos, enfim, um estudo deste nível, sem qualquer base da realidade, é divulgado por uma instituição respeitada e com um histórico de imensos serviços prestados à coletividade, como o Cremero? Será que todos os associados concordaram com a contratação e, principalmente, com o resultado do espalhafatoso estudo, que, obviamente, todos sabiam que poderia colocar a população em estado de extremo pânico? Por que se está citando esse exemplo, que é local, de um estado periférico?

Ora, é por causa dessa teoria de uma espécie de extinção de parte da Humanidade, por um vírus que, pelo que está se vendo, lendo, ouvindo por inúmeras regiões do Brasil e do mundo, é pior do que as bombas atômicas, juntas, jogadas sobre o Japão, na Segunda Guerra Mundial. Em São Paulo, por exemplo, a orientação da Secretaria de Saúde em colocar como causa da morte a Covid 19, em casos sem certeza do que levou a vítima ao óbito,  faria parte desse pacote, para deixar a população ainda mais prostrada ante uma doença que é séria, claro, mas que não o é mais que outras enfermidades que o mundo já enfrentou, com perdas e danos, mas que venceu, como vencerá o corona? Não se pode subestimar a perigosa Covid 19, que está mesmo causando uma mudança radical sobre como o mundo enfrenta doenças. Mas será que previsões catastróficas, muito longe da já dura realidade, ajuda em alguma coisa? Essa é uma das dúvidas que certamente ficam na cabeça de quem, até agora, não entendeu o motivo do desastroso estudo apoiado pelo  Cremero, assustador, mas muito longe da realidade que vivemos. Lamentável!

TUDO PIOROU A PARTIR DAS CORONAFEST

Claro que o aumento no número de casos de pessoas infectadas pelo corona vírus em Rondônia (já são 199), embora ainda muito menores do que outras regiões do país, é algo preocupante. Ainda mais porque quase três dezenas dos contaminados sejam de servidores da saúde e, praticamente todos, do hospital João Paulo II. Mais de 85 trabalhadores do local estão afastados, entre contaminados e os que o foram por segurança. Um hospital, aliás, que não atende casos de pessoas com a doença. Ou seja, a doença veio de fora. Uma fonte respeitável disse à coluna que tudo começou com a participação de gente da saúde nas famosas Coronafest, onde saíram contaminados e teriam espalhado a doença para seus colegas. No total, 26 servidores estão com a doença e outros 59 caos suspeitos aguardam resultados de exames. Os números dessa segunda-feira demonstram que a doença cresce, principalmente em Porto Velho. Veja o boletim desta segunda à noite: 199 casos confirmados, no Estado, quase cinco vezes mais que há duas semanas. Desses, 135 só em Porto Velho. São 34 curados; nove internados e não se sabe quantos desses casos são graves. Infelizmente, tivemos quatro mortes, duas na Capital e duas no interior. Há 75 suspeitos, aguardando resultado do Lacen e, por fim, 1.163 casos foram descartados. Em apenas um dia, foram, no total, 29 novos registros positivos para a doença.  

FESTAS: O 190 NÃO DEU CONTA!

O telefone 190 da Polícia Militar deve ter recebido, neste final de semana, um recorde de chamadas. Mas, ao invés de pedir ajuda por causa de algum assalto, roubo, furto, assassinato, violência, as ligações eram para denunciar vizinhos e locais onde havia muita alegria, festa, música alta, em plena fase de isolamento do corona vírus. Tudo seria normal, se não estivéssemos em tempos de um vírus mortal e nesses locais não estivessem se registrando aglomeração de pessoas, sem quaisquer cuidados. Num vídeo postado nas redes sociais, domingo à noite, o deputado Jair Montes, por exemplo, contou que recebeu mais de uma dezena de denúncias. Ligou para o 190 e foi informado que a PM não tinha condições de atender a tantas ocorrências.  . É sempre bom lembrar que antes do escândalo das Coronafest (que o apresentador do SICNews, da SICTV/Record, Everton Leoni, chama de Festas da Morte), eram pouco mais de 40 casos. A partir delas, o número mais que quadruplicou. E pode continuar aumentando, caso a irresponsabilidade de milhares de pessoas, sem qualquer respeito para consigo, suas famílias e os outros, continuem agindo dessa forma. Têm que se dar fim a essas festas e a essas aglomerações. E começar a punir, exemplarmente, quem age dessa forma. Urgente!   

ANISTIA INTERNACIONAL FAZ EXIGÊNCIAS

Ainda bem que temos, em nosso país, a ação rápida da Anistia Internacional, que tem cobrado duramente das autoridades o esclarecimento, a investigação, a prisão dos responsáveis e a condenação de quem quer se seja que se envolva em crimes contra indígenas. “Exigimos que as autoridades brasileiras tomem todas as medidas necessárias, para investigar a morte de Ari Wau Wau e para garantir o direito de sua família e de seu povo à verdade e à Justiça!”, bradou a Anistia Internacional no Brasil, em nota sobre a morte de mais um indígena no Estado. Tem que cobrar mesmo, porque qualquer  morte, seja de quem for, tem que ser esclarecida. Certamente por falta de tempo ou pequeneza do tema que, até hoje, passados “apenas” 16 anos, que a Anistia ainda não cobrou a prisão dos assassinos que trucidaram 27 garimpeiros ilegais, que atuavam na Reserva Roosevelt. Imagina-se que, logo que lembrar do assunto ou sobrar algum tempinho, a entidade enviará dura nota ao governo brasileiro, exigindo o esclarecimento do caso e punição exemplar dos culpados.

UMA MODESTA COLABORAÇÃO À ANISTIA

Apenas com o único intuito de colaborar com a Anistia Internacional, se ela eventualmente também exigir que sejam presos os responsáveis pelo Massacre da Reserva Roosevelt, a coluna dá modesta contribuição, relembrando alguns detalhes. No dia 7 deste abril, completou-se o 16º aniversário do cruel massacre, a golpes de machado, tacape e tiros de espingarda, de 27 garimpeiros Todos estavam ilegalmente na Reserva dos índios Cinta Larga. Uma investigação da Polícia Federal levantou todo o caso, apontou os culpados e encaminhou o processo para a Procuradoria Federal de Ji-Paraná. De lá, ao que se sabe, jamais saiu. Deve estar em alguma gaveta, com as folhas amarelando, certamente também porque os membros do MPF também não tiveram tempo de fazer as denúncias e encaminhá-las ao Judiciário, para que os culpados sejam punidos pelos crimes brutais que cometeram. Quem sabe uma pressão da Anistia Internacional, sempre tão ciosa com esse tipo de injustiça, ajudaria muito? Deu pra entender toda a ironia ou será preciso desenhar?

ENTRE O VERDE OLIVA E MADURO?

Para os adversários, os seguidores de Bolsonaro são fascistas, são idiotas, são descerebrados. Os mais de 57 milhões de brasileiros que votaram nele, para conduzir os destinos do país, fazem parte de um grupo de ultradireita, saudosa da ditadura militar. Só quem detesta o Presidente ou quem o odeia merece respeito, na opinião dessa gente, que babava sobre o Lula, o maior ladrão que já aportou no comando deste país. Para os bolsonaristas, esses sim, os que nunca deram um basta à roubalheira, aos acordos espúrios, aos governos compartilhados entre grupelhos que avançavam sobre o dinheiro público; os que achavam que artistas milionários devem ser bancados com dinheiro dos impostos para aumentarem suas fortunas, esses sim, querem ser os donos da verdade e os donos do Brasil. Só eles sabem o que é melhor para o país. Os fascistas de Bolsonaro e os seguidores de ladrões como Lula, Palocci e todos os outros que conhecemos, no fundo, são todos iguais. Estão se lixando para os reais interesses da sua Nação. Só lhes importam os interesses próprios. É claro que esse extremismo e esse egoísmo vai acabar muito mal. Será que, no final, voltaremos à ditadura verde oliva ou ao colo de gente como Nícolas Maduro? Pobre Brasil!

UMA ORAÇÃO PARA AGRADECER AOS PMS

Nesse país de guerra ideológica, onde tudo é nós ou eles; onde grande parte da mídia decide o que devemos pensar; quem devemos apoiar e quem não devemos, houve uma ala importante que decidiu criminalizar a polícia e defender os direitos dos bandidos. Começou pela Rede Globo, cujo fundador deve estar se virando na sepultura praticamente todos os dias, pelo que está acontecendo com o império que ele criou, mas se espalhou também por várias emissoras, por sites, blogs e redes sociais. Tentaram fazer,  durante mais de uma década, a cabeça do povo. Felizmente, não conseguiram, a não ser por uma minoria que, de uma forma ou outra, admira os fora da lei e tem ojeriza da polícia. Em Porto Velho, na semana passada, uma cena ocorrida no Orgulho do Madeira chamou a atenção, especialmente. No lugar dominado por facções e por bandidos, a PM foi mais uma vez fazer uma “limpeza”, livrando a pobre população de criminosos que querem se adonar da área. Foram recebidos por moradores que começaram uma oração, pela vida dos PMs. Um momento tocante e uma forma clara de agradecimento do povo, grato por se livrar de tantos bandidos, graças à ação de homens e mulheres que dão suas vidas para protegê-las. Uma grande derrota para aqueles que querem cooptar as pessoas de bem a favor dos bandidos.    

JEFFERSON VOLTA COM PESADAS ACUSAÇÕES

Claro que todos conhecem a língua ferina de Roberto Jefferson, o presidente nacional do PTB, que, com suas pesadas denúncias, escancarou ao país a roubalheira nos governos do PT, que cooptou aliados através do criminoso Mensalão. O país sabe no que isso resultou! Pois Jefferson, agora, volta à carga com outras daquelas ações que mexem com as estruturas do Brasil. Numa live que foi ao ar pelas redes sociais no domingo à noite, Jefferson acusou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; o presidente do Senado, Davi Alcolumbre; a OAB e o STF, de estarem tramando um golpe para derrubar o presidente Bolsonaro. Segundo Jefferson, Maia já encomendou um pedido de impeachment ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, contra o presidente da República. A acusação foi repetida várias vezes e criou mais uma daqueles tremores nos meios políticos de Brasília e do país. Jefferson disse que Bolsonaro é honesto e que está sendo perseguido porque não aceita negociar com a classe política, nos termos do passado. O caso, claro, vai ferver nos próximos dias. O que se espera é que os citados não só desmintam, como processem o presidente do PTB, por os estar acusando de algo que não teriam cometido.   

PERGUNTINHA

Alguém aí lembrou, nessa confusão toda da Covid 19 e da verdadeira guerra político-ideológica que o país enfrenta, que hoje é feriado nacional e dia de homenagearmos Tiradentes, um dos nossos maiores heróis?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *