SE A POLITICAGEM E A IDEOLOGIA NÃO VENCEREM, A VACINAÇÃO COMEÇA NA QUARTA-FEIRA, PARA TODOS OS BRASILEIROS

LEI ANTICRIME APRIMOROU PUNIÇÃO À BRUTALIDADE, MAS AINDA LONGE DE ACABAR COM BENEFÍCIOS LEGAIS A BANDIDOS
13 de janeiro de 2021
CHEGAM AS PRIMEIRAS 49 MIL DOSES DA VACINA CORONAVAC. É O COMEÇO DA VITÓRIA SOBRE O VÍRUS MORTAL
18 de janeiro de 2021

As informações ainda são muito desencontradas, mas neste domingo, 17 de janeiro, será um dia dos mais importantes na luta contra a pandemia, que, aliás, nunca esteve tão violenta, nunca contaminou e matou tanta gente como agora, em todo o país. A expectativa geral é de que, finalmente, a Anvisa, numa reunião extraordinária, dê o sinal verde para que a vacinação no Brasil comece mesmo, simultaneamente, em cada recanto brasileiro, já nesta quarta, dia 20.  Em Rondônia, o governo do Estado, via secretário Fernando Máximo, da saúde, garante que está tudo pronto para a aplicação das primeiras 60 mil doses, que atenderão com prioridade o pessoal da saúde e pessoas acima de 75 anos. Depois, na medida em que as vacinas forem chegando, ela será aplicada nas demais faixas da população. Rondônia se antecipou e comprovou 1 milhão e 600 mil seringas, o que dá para vacinar praticamente todos os rondonienses, ao menos na primeira dose. Também correu na frente para manter locais adequados para que as vacinas fiquem na temperatura exigida.  Nossa terra, contudo, continua sendo um Estado extremamente castigado pela doença. Já estamos batendo nos dois mil mortos, desde o início de maio passado (ou seja, em apenas nove meses), com quase 107 mil casos. Ou seja, de uma população de aproximadamente 1 milhão e 750 mil pessoas, nada menos do que seis em cada 100 rondonienses pegaram a doença. Temos ainda mais de 16.500 casos ativos, porque perto de 90 mil estão recuperados. Mas o que desespera mesmo é o número de óbitos e o risco de superlotação total dos nossos hospitais, como está acontecendo em Manaus. Aqui, temos, hoje, perto de 450 internados. Ainda não faltam leitos, mas eles escasseiam a cada dia que passa, pelo enorme número de casos acrescidos ao total de contaminados, todos os dias. O secretário Fernando Máximo informou, numa Live nas redes sociais, que Rondônia está pronta para a vacinação, mas ela não resolverá o sério drama a curto prazo. Temos que manter, ainda por longo tempo, todos os cuidados, protegendo nossas vidas, de quem convivemos e daqueles que mais amamos.

Perto de 33 milhões de pessoas já foram vacinadas mundo afora. O país que mais imunizou sua população foi Israel, que já aplicou uma dose – e aplicará a outra, em poucos dias – em quase 25 por cento de toda a sua população. Enfim, parece que, para a Humanidade, o pior está passando. Mas no Brasil, os que transformaram a doença em palanque político, como tantos o fizeram ou em funerária ideológica, como o fez a Rede Globo, apenas para citar um exemplo, vão ter que engolir a realidade e nos deixar viver. Não aguentamos mais tantas tragédias, tanta falta de ação, tanta falta de oxigênio, tanta incompetência, tanta maldade. A quarta-feira pode trazer o começo da solução para todos. Tomara que isso se torne realidade!

VAMOS SUPERAR, COMO JÁ SUPERAMOS TANTAS TRAGÉDIAS!

O Brasil começará o processo de vacinação com atraso, por uma série de circunstâncias, incluindo-se aí o baixo nível de respeito ao povo, mas muito mais amor às convicções pessoais e ao próprio umbigo, de muitas das nossas autoridades. Ponha-se nesse pacote o Presidente da República, que continua, com sua cabeça duríssima, incentivando a não vacinação, como se ela não fosse a única opção que temos. O governador de São Paulo também têm muita culpa, ao lançar-se candidato ao Planalto e buscar desesperadamente, se tornar o salvador do povo, guerreando por uma vacina que sequer havia sido ainda testada, muito menos aprovada. Coloque-se no mesmo saco, grande parte dos que têm voz ativa no Congresso: parte de médicos e cientistas que, em grupo, trataram a questão apenas ideologicamente, contestando práticas preventivas que poderiam ajudar a diminuir a força do vírus, assim como o novo partido político nacional, o Partido do Supremo Tribunal Federal, que pisoteou a Constituição continuamente, para impor decisões inacreditáveis e se terá o triste quadro que atingiu em cheio os brasileiros. Toda a situação é dantesca, mas, no final, o bom senso e a força de viver do povo brasileiro vão sobrepujar tudo isso, como, aliás, já fizemos, como Nação, inúmeras vezes, em outras tantas crises. Venceremos, apesar dos nossos líderes…

CÉSAR CASSOL DEFENDE COMPRA PARTICULAR DE VACINAS

MAIS UM LOCKDOWN, APENAS COMO SAÍDA DESESPERADA

Porto Velho e outras 28 cidades do Estado voltam ao Lockdown. Com toque de recolher entre oito da noite e seis da manhã. É uma tentativa desesperada das autoridades, no sentido de conter o vírus, que se alastra, destrói e mata cada vez mais. Países europeus estão atuando da mesma forma, assim como várias outras regiões. Por aqui e em outros lugares onde o Lockdown já foi adotado, os resultados nunca foram os esperados, até porque muita gente continua levando o vírus para dentro de casa, contaminando os que estão trancafiados e que se imaginam livres da doença. O ideal seria a conscientização, mas isso está longe de ser possível, porque grande parte da população acha que está imune à doença, sem se importar levá-la para seus entes queridos, que vão se amontoando em hospitais e morrendo entubados nas UTIs. Aliás, o sábado terminou sem praticamente um só leito de UTI desocupado, tanto na Capital como nos hospitais do interior. O Lockdown, que certamente vai causar muitos danos à economia e, principalmente, mais e mais desemprego, só tem efeito psicológico passageiro. Uma semana e meia ou duas depois dele, se verá que os números de contaminados e mortos vão aumentar muito, não diminuir.

EM BREVE, JÁ NÃO SEREMOS O PAÍS MAIS CATÓLICO DO MUNDO

Como o Papa Francisco, que fala sobre tudo, incluindo questões ambientais do Brasil e da Amazônia, só para dar um exemplo, se calou ante a decisão dos argentinos de aprovarem o aborto, coisa que a Igreja Católica condenou durante toda a sua história, ficou claro que a Teologia da Libertação, de tendência esquerdista, realmente está à frente do Vaticano. Foi vitorioso sobre os conservadores, que têm ojeriza a uma série de questões (como essa, do aborto), ou ignoradas ou modificadas radicalmente pelo Sumo Pontífice.  O Papa, que recebeu o criminoso Lula, condenado duas vezes em duas instâncias por delitos cometidos enquanto Presidente do Brasil, jamais condenou, por exemplo, o regime comunista, cruel e desumano de Nícolas Maduro. Prefere, eventualmente, fazer críticas, mesmo que sutis, a democracias que não rezam pela cartilha da tradicional esquerda socialista. Quando o presidente argentino Alberto Fernandéz assinou a nova Lei do Aborto, afirmando que “agora temos uma sociedade muito melhor e mais igualitária”, considerando que o “aborto é um passo importante na direção dos direitos de todos”, novamente silêncio sepulcral do Santo Padre. Por essas e outras é que a Igreja Católica está perdendo milhões de fiéis todos os anos e o Brasil, que já foi o maior país católico de todo o mundo, começa, aos poucos, a passar esse título para os evangélicos.

INDO AO PORTO, CAMINHÕES DOMINAM RUAS E AVENIDAS DA CAPITAL

Tão logo se consiga passar pela pandemia ou ao menos amenizá-la, há questões importantes que precisam ser tratadas tanto pelo governo de Rondônia quanto pelo Dnit. Uma delas, prioridade entre todas, é a questão do futuro Anel Viário, que vai ligar a BR 364, na altura da sede das Irmãs Marcelinas até a avenida Migrantes, por onde centenas de caminhões passariam em direção ao porto da Capital, para escoamento dos produtos que transportam. O que está acontecendo hoje, quando aquele trecho do Anel, já aberto, mas sem asfalto em quase toda a sua extensão, é que se torna impossível o tráfego pela lama, o inverno amazônico e poeira infernal, no verão. Então, a grande maioria dos caminhões trafega pela avenida Jorge Teixeira (BR 319), causando verdadeiro caos no trânsito, em alguns momentos do dia ou, pior, tentam chegar ao porto utilizando outros acessos, como, principalmente, a avenida Guaporé, que já está cheia de buracos em vários trechos. Outras ruas, inclusive algumas em que é proibido o trânsito de veículos pesados, estão sendo usadas e o asfalto destruído. O governador Marcos Rocha anunciou, meses atrás, que tinha a garantia do Ministério da Infraestrutura, de que o Anel Viário seria federalizado e concluído em breve, mas com a crise da pandemia, todas as prioridades mudaram. Contudo, está na hora de se começar nova pressão, para que a obra não seja esquecida, já que o tráfego intenso de caminhões por dentro da cidade tem causado muitos problemas ao porto velhense.

HÁ ALGO DE PODRE NO REINO DOS ASSALTOS A BANCOS?

Alguma coisa muito estranha, para não dizer que cheira a algum tipo de podridão, está acontecendo, em relação aos vários assaltos cometidos, nos últimos dias, contra clientes que iam retirar ou depositar grandes quantias em dinheiro, em agências bancárias de Porto Velho. Ora, como criminosos – certamente muito bem organizados – conseguem informações privilegiadas, para saberem exatamente o dia e o horário em que algum empresário vai ao banco, para retirar ou depositar e em dinheiro? Em menos de duas semanas, três assaltos idênticos. Dois deles, contra agências do Sicoob. O terceiro, ocorrida nesta sexta-feira, na agência do Banco da Amazônia. No total, quase 200 mil reais foram roubados. No de sexta, os bandidos atiraram contra o comerciante que iria fazer o depósito de 50 mil, por pouco não o atingindo. Nossa polícia, sempre eficiente nas investigações, até agora não deu qualquer informação, sobre sequer se tem alguma pista a seguir, quem dirá, prender alguém! Quando a quadrilha (ou quadrilhas) forem desbaratadas – e tomara que isso ocorra o mais rápido possível –  certamente será levantado o tapete onde, embaixo dele, pode estar uma podridão acima do imaginável. Esperemos, pois!

INCRÍVEL: “CIENTISTA” NÃO QUER ASFALTO NA 319 POR CAUSA DO VÍRUS

O prefeito de Manaus, Davi Almeida, considerou que a falta de ligação da Capital amazonense com o resto do país, por estrada, numa crise de pandemia como vive sua cidade, “é uma sentença de morte” aos manauaras. Pra que? Um “cientista” do Inpe correu para a mídia para contestar a afirmação do prefeito, ao afirmar que, ao contrário, o asfalto na BR 319 seria catastrófico, nesse momento em que a cidade está em pânico. E assim vivemos, no fogo cruzado entre políticos que dizem uma coisa e representantes e instituições dominadas pela ideologia, que dizem outra totalmente diferente. O Prefeito diz que com apoio logístico e facilidade de acesso, doentes poderiam ser transportados com mais facilidade, o que salvaria muitas vidas. Já o tal “cientista” afirmou que com a rodovia em boas condições de tráfego, seria uma catástrofe ainda maior, porque muita gente se deslocaria até Manaus, mesmo com tudo o que está acontecendo. Ora bolas! Até quando gente que nada tem a ver com o combate à Covid, com a guerra ao vírus e à pandemia, vai tentar impor suas ideias e ideologias, mesmo que isso significa a morte de pessoas? Seria cômico, não fosse trágico, ter-se que ouvir heresias como essa ou como aquela, em que um “estudo científico” feito na Universidade de Minas Gerais, alertou que com o asfaltamento da BR 319, metade da Amazônia seria destruída. Tem jeito um país com cabeças como essas?

PERGUNTINHA

Na sua opinião, com o enorme crescimento de casos de infectados pela Covid, corremos, em Rondônia, o risco de ficarmos sem oxigênio nos hospitais, como ocorreu em Manaus?

Deixe um comentário