NOVA RODOVIÁRIA, A DOS SAPOS ENTERRADOS: O PROJETO É LINDO, MAS ESTÁ MUITO LONGE DE SE TORNAR REALIDADE

AFUNDANDO PARA A ESQUERDA, ARGENTINA TEM CINCO MILHÕES DE MISERÁVEIS E INFLAÇÃO PERTO DOS 50 POR CENTO
1 de julho de 2021
QUANDO OS VICES ROMPEM: CRISE NO ACRE É FILME QUE JÁ VIMOS EM RONDÔNIA E NO PAÍS
5 de julho de 2021

Tem uma saparia enterrada? Coletivo de sapos, a palavra pode sintetizar o que está enterrando e atrasando a construção da nova rodoviária de Porto Velho, um lindo e moderno prédio, ao menos num projeto de bela concepção, feita desde o governo Confúcio Moura. Aliás, na gestão passada, estava tudo pronto para começar a obra. Uma área foi desapropriada na avenida Guaporé. próximo ao Cemetron, no bairro Três Marias. Era o ponto ideal: boa localização, facilidade de acesso pelos usuários, baixo impacto no trânsito. Tudo certinho e perfeito, não fosse uma decisão judicial deu ganho de causa ao proprietário, desconsiderando a desapropriação feita com base no interesse público. Tudo, então, não passou de um sonho de verão, que se esvaiu sem que nada andasse de concreto. Os sapos enterrados voltaram a fazer seu feitiço, impedindo que a Capital tivesse uma rodoviária decente e não aquela espécie de pocilga, tomada pelo mato, em pleno centro da cidade.  Agora, o assunto está sob o comando do Deosp, o departamento de obras civis do Estado, que tem à frente o competente Coronel Erasmo Meireles. Ele tem conversado com a Prefeitura de Porto Velho, para que, em conjunto, Estado e Município encontrem uma solução definitiva para o problema, que envergonha a cidade e que se arrasta há longos anos. Várias opções estão sendo analisadas, para que o projeto ande. No último dia 29 de junho, mais uma reunião foi realizada no palácio Rio Madeira, com a presença do Chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves; do diretor geral do DER, Elias Rezende e do Coronel Erasmo Meireles. O secretário adjunto da Secretaria Geral de Governo, o advogado Devanildo Santana, representou a Prefeitura da Capital e participaram ainda os deputados Marcelo Cruz, Jair Montes, Eyder Brasil e Alan Queiroz. A nova rodoviária foi um dos temas centrais do encontro, assim como outras demandas de Porto Velho, quanto de outros programas do Governo Estadual, como Tchau Poeira e Governo na Cidade.

O Coronel Erasmo resume o que é necessário para uma nova área da Rodoviária, que está sendo procurada. “para implantação da nova Rodoviária de Porto Velho,  se faz necessária a disponibilização de um novo terreno com as seguintes características: facilidade de acesso aos ônibus que chegam a cidade; localizar-se no centro geométrico da cidade de forma a atender as diversas regiões de forma equânime. Possuir dimensões suficientes para atender a escala física do projeto com a circulação de ônibus, de pessoas,  etc”. Ele não descarta, contudo, “a revitalização do espaço que atualmente abriga a Rodoviária”. Ou seja, continuam as conversas, os projetos, as intenções, mas, na verdade, tudo continua só nos projetos. Até porque, é bom que se seja realista, qualquer área que for escolhida e desapropriada, pode novamente ser proibida de utilização pelo Judiciário. Portanto, continuemos esperando que os sapos sejam desenterrados. Mas não nos iludamos. A nova Rodoviária, ainda, não passa de um sonho distante.  

OPERAÇÕES MIDIÁTICAS ENXUGA-GELO RESOLVERÃO O GARIMPO ILEGAL?

A Polícia Federal fez mais uma operação enxuga-gelo, contra a exploração e o contrabando ilegal de diamantes na Reserva Roosevelt, entre Rondônia e Mato Grosso, onde, dizem especialistas, existe a enorme mina de diamantes, com a melhor qualidade do mundo. Já fez mais de 30 operações como essas e vai fazer outras 200, sem qualquer resultado prático. Prende um aqui, outro lá, apreende alguma coisa aqui, mas o grosso, os milhões e milhões de nossas riquezas, continuam saindo todos os meses, todos os anos, indo para mercados internacionais, sem que fiquemos com um só centavo de tudo o que a natureza nos deu e a burrice das nossas autoridades não permite que usufruamos. Burrice ou coisa pior?  Há décadas se fazem operações. Tais operações, feitas de vez em quando, custosas e apenas midiáticas, todos sabem, jamais resolverão o problema. A intervenção da União, organizando o garimpo, indenizando os índios com alto percentual dos lucros e pegando para si, governos dos três estágios (União, Estado e Municípios) fatias de tributação, seria a única forma justa da riqueza ser de todos. Mas daí, terá que se mexer com interesses que, segundo aquele famoso ministro, são “imexíveis!”

INQUÉRITO DO ASSASSINATO DE 29 GARIMPEIROS APODRECE EM ALGUMA GAVETA

Quando se fala em Roosevelt, é sempre bom lembrar que ali aconteceu a maior tragédia criminosa da história de Rondônia, que até hoje envergonha os rondonienses de bem e certamente causa grande mal-estar entre a grande maioria dos membros do Poder Judiciário, que dedicam suas carreiras e suas vidas a defender a Verdadeira Justiça para todos. Naquele local, no fatídico dia 7 de abril de 2004, 29 garimpeiros ilegais foram mortos e trucidados por índios. Eles foram mortos a tiros de espingarda, a flechadas, machados e tacapes. Passados 17 anos e três meses, ninguém foi sequer indiciado pelos crimes, embora a Polícia Federal tenha produzido um inquérito rico em provas e denunciado inúmeros indígenas. Imagine-se se os 29 garimpeiros tivessem matado um só índio! ONGs que vivem às custas do dinheiro público, governos estrangeiros, autoridades de todos os tamanhos, MPF, OAB e outras instituições teriam transformado nosso Estado num inferno, Mas como os matadores são índios, zero. Todo o processo apodrece em gavetas e instituições que não pensam em punição para os assassinos, talvez se esperando pela prescrição. Nada menos do que 29 seres humanos foram trucidados e há um silêncio trágico em torno dessas mortes, Não haverá, neste Brasil, uma só autoridade com coragem suficiente para exigir que haja ao menos um julgamento dos criminosos? 

EX-GOVERNADOR DANIEL PEREIRA: MAIS UM NOME PARA CORRIDA AO SENADO

Está difícil para o ex-governador Daniel Pereira dizer não. Antes decidido a não participar das eleições de 2022, ele tem dedicado todo o seu tempo e conhecimento para gerir o Sebrae, numa atuação como Superintendente estadual, que tem sido bastante elogiada. Mas, ao que tudo indica, ele pode rever o que andava pensando. Com sua larga carreira na política, com mandatos na Assembleia Legislativa e, por fim, governando o Estado, quando Confúcio Moura saiu para concorrer ao Senado, Daniel tem sido pressionado por amigos, eleitores e parceiros políticos do Solidariedade, partido que preside, para ser candidato nas eleições do ano que vem. Por enquanto, ele pouco fala sobre o assunto, mas o que se ouve nos bastidores é que poderia pensar numa disputa pela única vaga (a de Acir Gurgacz) de Rondônia ao Senado da República. Nada ainda definido, mas já há indícios de que Daniel tem comentado, em pequenos grupos, que se sente preparado para enfrentar as urnas e que teria propostas e projetos muito importantes num eventual mandato. Ou seja, além de Expedito Júnior, Jaime Bagattoli e Jesualdo Pires, está surgindo mais uma possibilidade quente, em termos de  opção, para a disputa ao Senado.

DIA D PARA O HEURO: QUARTA SERÁ CONHECIDA EMPRESA QUE VAI CONSTRUIR O HOSPITAL

A próxima quarta-feira será de grande importância no contexto da construção do futuro Hospital de Pronto Socorro de Porto Velho, o HEURO. Na Bolsa de Valores de São Paulo, vai surgir o nome da empresa vencedora da disputa pela obra, que será erguida através do sistema Built To Serve, sem uso de qualquer dinheiro público. A partir da empresa vencedora, que será escolhida num leilão e se ela tiver cumprido todos os critérios exigidos, começará uma fase de concretização do projeto. As obras, numa área já escolhida, próximo à BR 364, entre a região do Cemetron e do Trevo do Roque, devem começar em novembro e terão duração de dois anos. A perspectiva é que o novo Hospital, com 399 leitos e 20 salas de cirurgia, entre outros avanços, deve ser concluído antes do final de 2023. O construtor entregará o HEURO com todas as características técnicas exigidas pelo Estado, que pagará pelo uso durante 30 anos, quando, então, toda a estrutura passará sob o comando da administração estadual. O governador Marcos Rocha viaja para São Paulo na segunda-feira e vai acompanhar todo o processo, antes e durante o leilão na Bolsa. O secretário Fernando Máximo, da saúde, também acompanhará tudo.

VÍRUS: NÚMEROS DESCEM E SOBEM: É PRECISO SE MANTER VIGILANTE

Depois de quatro dias em que o número de óbitos registrados nos boletins da Sesau caíram drasticamente em Rondônia, a sexta-feira veio com a volta à  dura realidade: 21 novas mortes por Covid foram registradas. Só em Porto Velho, três dias com zero óbitos e, sexta, quatro registros. Isso aponta para a situação de risco que vivemos, com esse vírus ainda desconhecido, que vai e volta, que melhora e piora, ensinando que precisamos manter todos os cuidados, para que não sejamos novamente atingidos pela tragédia da qual estamos, desesperadamente, querendo sair. O que há de positivo é que estão diminuindo, há quase uma semana, os números de novos contágios diários. Ficaram entre 250 e 350 nos últimos dias. Melhorou bastante, se lembrarmos que há poucos dias atrás, eles estavam batendo na casa dos 900. Também anima que tenhamos apenas 360 leitos ocupados (números da sexta-feira), quando, no auge da pandemia, chegamos a ter 570 internados e mais de 70 pessoas na fila de espera das UTIs. Há pequenas luzes no final do túnel. Mas é bom que se saiba: estamos muito longe de podermos voltar à vida normal.

OPOSIÇÃO PROTESTA CONTRA BOLSONARO, ENQUANTO ELE CRESCE ENTRE O POVÃO

A oposição tenta de tudo. Em primeiro lugar, para conseguir o impeachment de Bolsonaro, porque sabe que se ele chegar às urnas em 2022, será muito difícil tirá-lo da reeleição. Neste sábado, houve várias manifestações contra o Presidente, país afora, algumas até com participação bastante razoável dos grupos de esquerda, principalmente e, outros, de agrupamentos que, como sempre o fizeram, aproveitaram o evento para baderna, como a queima de pneus em Belo Horizonte, no meio da rua e levando risco a quem não tinha nada a ver com o protesto. No geral, contudo, não há comparação entre os pequenos ajuntamentos de oposicionistas que se vê na maioria das tentativas de concentração contra o governo (em Porto Velho, tinha menos de 50 pessoas) e as multidões que Bolsonaro tem levado por onde passa, incluindo-se aí pequenas localidades de todas as partes do país. A oposição grita, vocifera, esperneia, ofende, bate abaixo da linha da cintura. Tem todo o apoio de praticamente toda a mídia e das instituições como Ministério Público, parte importante do Judiciário e, principalmente, da grande maioria dos membros do STF. Mesmo assim, a popularidade de Bolsonaro só cresce, na vida real, contrariando todas as pesquisas fajutas e inventadas que se tem conhecimento. Será difícil tirá-lo do poder. A não ser, como previu José Dirceu, na marra.  

RONDÔNIA VACINOU POUCO ATÉ JUNHO, MAS AGORA NÚMEROS DERAM UM SALTO

Proporcionalmente, no país, Rondônia foi o estado que mais aplicou vacinas em sua população, de 1º até 25 de junho. Isso mesmo. Naquele período, saltamos de poucas 230.214 doses para 456.654 doses no braço do rondoniense. Há aí duas verdades, A primeira é que, até o primeiro dia de junho, a vacinação no nosso Estado era perto do ridículo. A outra é que, com a chegada de muito mais vacinas, as Prefeituras, com as péssimas exceções de sempre, é claro, mudaram suas estratégias e passaram a imunizar sua gente com muito mais rapidez. Nas últimas semanas, as coisas melhoram muito. Sem contar as doses que chegaram entre a quinta e a  sexta-feira, já recebemos 876.108 vacinas, incluindo Oxford/Astrazeneca (a maior parte); Coronavac, Pfizer e Jansen. Destas, até a noite da sexta, já haviam sido aplicadas 514.037 da primeira dose e 163.900 da segunda dose. O total de vacinas aplicadas já chegava a 677.937. Não se considera dentro desses números, as doses que foram distribuídas no final de semana, em postos de vacinação e drive thru, promovidos por algumas Prefeituras, incluindo a de Porto Velho. Embora conteste os números, Ji-Paraná, pelos dados oficiais do Ministério da Saúde e da Sesau, continua na lanterna, em termos de aplicação de vacinas. A segunda maior cidade do Estado, caminhando para 135 mil habitantes, recebeu nada menos do que 58.750 doses das vacinas e aplicou apenas 32.416, ou seja, o número ridículo de 55,2 por cento. Lamentável!

PERGUNTINHA

 Se a eleição fosse hoje e fossem esses os candidatos à Presidência, em quem você votaria: Jair Bolsonaro, Lula, Ciro Gomes, João Dória, Luiz Henrique Mandetta  ou o gaúcho Eduardo Leite?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *