BANCO DE SANTOS E SUA QUEBRADEIRA: ESSE TERIA SIDO UM DOS MOTIVOS PELO ROMBO NOS COFRES DO IPERON

NÃO IMPORTA O MOTE DO PROTESTO E NEM QUEM O FAZ: FECHAR UMA RODOVIA FEDERAL CONTINUA SENDO CRIME
2 de março de 2020
UMA VERGONHA: DEZESSEIS HORAS DE AEROPORTOS E AVIÕES PARA VIAJAR MENOS DE 1.200 QUILÔMETROS ATÉ O ACRE
5 de março de 2020

É um assunto que, quando alguém lembra, é a boca pequena, em conversas intimas, nunca entre grupos. Mas há quem não esqueça que a derrocada do Iperon, o instituto de previdência de Rondônia, que até 2021 poderá se tornar inviável, com um buraco de mais de 600 milhões de reais, teve muito a ver com a perda de muito dinheiro,  aplicado no Banco de Santos, no início da década de 2000, numa operação de alto risco. À época, o instituto era presidido pelo já falecido senador Odacir Soares. O Banco de Santos, do empresário Edmar Cid Ferreira, começou a quebrar em 2004, quando o Banco Central, em novembro daquele ano, decretou a intervenção na instituição financeira, através de decisão com o aval do governo federal, à frente, na época, o petista Luiz Inácio Lula da Silva. Na ocasião, os correntistas do banco tiveram saques limitados a 20 mil reais para contas à vista e cadernetas de poupança. Os demais recursos ficariam bloqueados à espera de que fosse encontrada uma solução para a instituição financeira. Foi aí que ficou trancado todo o investimento feito à época pelo Iperon, que esperava rendimentos bastante altos mas que, no final das contas, perdeu tudo. Em 2005,o Banco Central anunciou que havia um rombo de nada menos do que 2 bilhões e 200 milhões de reais no Banco de Santos, uma imensa fortuna se levarmos em conta que o valor era de quase 15 anos atrás. Como o BC, além da insuficiência patrimonial, encontrou também indícios de crime contra o sistema financeiro nas contas do Banco Santos, havia as condições necessárias para o requerimento da falência do banco, decretada pela Justiça. Em artigo polêmico, publicado pelo ex dono do Banco de Santos, Edemar Vida Ferreira, na Folha de São Paulo, em 14 de fevereiro de 2011, sete anos após a falência, ele escreveu que “nunca houve rombo bilionário no Banco” e que “isso foi apenas um pretexto para a intervenção do Banco Central.” O caso continua controverso até hoje não se tem notícias de algum dos investidores, incluindo o Iperon, tenha sido ressarcido.

A queda do instituto rondoniense teve outros ingredientes importantes, sem dúvida, como a decisão de governos anteriores em não repassar ao Iperon, os valores recolhidos dos seus servidores. Má gestão também ajudou a que o problema se avolumasse. Para se ter ideia da situação do instituto, hoje, recentemente o Governo de Rondônia foi “presenteado” com 183 milhões de reais vindos do fundo do pré sal, que beneficiou todos os Estados brasileiros. Toda essa fortuna foi imediatamente transferida para os cofres do Iperon, para ajudar a diminuir o rombo. Governo do Estado e Assembleia Legislativa também estão repassando mais recursos. Enquanto isso, o caso do Banco de Santos parece ter morrido. Nunca mais se ouviu falar no assunto e nem dos seus desdobramentos. Nem o Tribunal de Contas, que certamente acompanhou e fiscalizou tudo, se pronunciou mais sobre o tema. Quem sabe um dia toda essa história, com seus detalhes complexos, virá à tona?

UM ATO DE CORAGEM NA ALE

Dias complicados na Assembleia Legislativa. Depois de 30 anos em que a legislação não era cumprida, foi o presidente Laerte Gomes quem teve a dura e complexa missão de começar a colocar a Casa em ordem. Há muitos anos e durante várias administrações que passaram pelo Parlamento, o Ministério Público e órgãos de controle e exigiam que o número de comissionados fosse o mesmo dos efetivos e que os salários, em cargos iguais, tivessem também paridade  para os dois tipos de contratação. Laerte teve que ter coragem e muita força para tomar as decisões que precisavam ser tomadas, implantando na ALE a maior Reforma Administrativa da sua história. O lado bom é que os gastos do Poder, com as medidas, cairão algo em torno de 800 mil reais/mês. O efeito colateral é que, num só dia, cerca de 600 pessoas perderam seus empregos. Sem dúvida alguma foi a mais difícil decisão já tomada na vitoriosa vida pública de Laerte Gomes, mas certamente sua preocupação com a transparência e com os cuidados com o dinheiro público compensarão todo esse momento complexo.

MDB: PEDRAÇA ESTÁ NO PÁREO

Surge mais um nome na corrida pela Prefeitura de Porto Velho. E dentro do MDB, que continua esperando pelo sim do desembargador Walter Waltenberg. Um dos antigos membros do partido, que já o presidiu por mais de uma vez, Neirival Pedraça, está se  colocando a disposição da sigla, como mais uma opção para os emedebistas apresentarem ao eleitorado. O anúncio de que Pedraça aceitaria o desafio, caso necessário, foi feito depois de um almoço entre ele e o presidente do Diretório Municipal, Dirceu Fernandes. Há ainda outras possibilidades do partido, caso não se concretize a candidatura de Waltenberg: Williames Pimentel é, sempre, um dos nomes mais fortes dentro da sigla. Faltando ainda alguns meses para o martelo ser batido, o MDB se mexe. Fernandes diz que o partido tem mais de 10 mil membros em Porto Velho e essa militância, segundo raciocina, pode ser decisiva numa eleição. O MDB, aliás, começa nessa quinta, três dias de seminário, como uma forma de se organizar para a eleição de outubro. O “Prepara o 15”,  começa nesta quinta em Porto Velho e depois prossegue para Ariquemes, Cacoal e Ji-Paraná.

ROCHA CONVOCA PARA O DIA 15

O governador Marcos Rocha usou novamente as redes socais para dar seu recado pessoal aos rondonienses. Dessa vez, foi para apoiar a manifestação de 15 de março. O texto é longo e com várias reflexões acerca do momento em que o país atravessa e da necessidade, segundo ele, de apoiar o Presidente Bolsonaro, Alguns trechos do texto: “Dia 15 de março haverá uma importante manifestação. Ela é sim, pela Democracia Brasileira. Entretanto, não é a favor de ofensas aos poderes. É sim, em defesa dos mesmos manterem suas atribuições originais. Nós defendemos a democracia liberal e sem viés ideológico, com cada Poder trabalhando unido e seguindo suas funções de forma coerente. Não é válido, jamais, nenhuma tentativa de encurralamento ou manobra política para tornar um poder inferior ou refém de outro”. Mais adiante: “para a população é importante apoiarmos o Presidente Jair Messias Bolsonaro e essa pauta democrática no dia 15. É um importante recado para mostrarmos que, hoje, estamos atentos”. Depois de lembrar que a manifestação é da população e apenas dela, o Governador concluiu: “espero todos no 15 de Março, nas Ruas. Em Porto Velho a população está se organizando para sair do Espaço Alternativo”.

AMBULANTES NA ASSEMBLEIA

O deputado Jair Montes promove, nesta quinta, uma audiência pública de grande importância para Porto Velho. A partir da nove da manhã, no auditório da Assembleia, ele quer discutir a fundo a questão dos ambulantes da Capital. Com o pomposo título de “Regularização Territorial e Regularização do Comércio Ambulante no Espaço Alternativo”, Montes pretende reunir representantes do DER e da Prefeitura, outras autoridades, além, é claro, dos próprios ambulantes, os maiores interessados, para definir as responsabilidades e organizar a baderna que virou o Espaço Alternativo, invadido por algumas dezenas de vendedores, sem qualquer organização.  O Espaço Alternativo tem sido mote de dezenas de críticas de frequentadores, que se consideram prejudicados com tantos ambulantes invadindo o espaço que deveria ser de caminhada, corrida e encontro das famílias. Até agora, na verdade, não se sabe quem é o verdadeiro responsável pela área, construída pelo Estado, mas jamais entregue à Prefeitura, Pode ser que depois da audiência desta quinta, as coisas comecem a ser esclarecidas. 

OS POBRES, SEMPRE OS MAIS POBRES!

Rio, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santos são os Estados brasileiros onde as chuvas têm sido mais destruidoras, nesse início de ano. E as maiores vítimas, como sempre, são os mais pobres, os que estão tentando sobreviver (porque viver é quase impossível), em áreas de risco. Em outras regiões do país, a situação também é complicada. Poucas vezes se viu tanta chuva e tão pesada sobre Rondônia. Tanto na Capital quanto no interior, os danos materiais são grandes, embora, felizmente, não tenha se registrado vítimas fatais, como em outras áreas brasileiras. O Rio Madeira ameaça sair do leito, o que pode acontecer entre esta quarta e a quinta-feira. Não teremos uma cheia tão violenta como em 2014, mas mesmo assim, haverá transtornos sim. Já nos bairros de Porto Velho, a falta de infra estrutura atinge a todos, ricos e pobres, indistintamente! É um daqueles inícios de ano terríveis para várias regiões e também para grande parte da Amazônia.

A SAÚDE ESTÁ MELHORANDO

Boas notícias na área da saúde pública. Primeiro, o anúncio do início das obras, em dez dias, do Cemetron, um dos mais importantes centros de pesquisa e tratamento de doenças tropicais do país. Serão investidos 11 milhões de reais. Depois, a audiência pública que definiu os próximos passos para a construção do futuro Heuro, o Hospital de Pronto Socorro de Porto Velho. Ele será construído pelo sistema BTS, sem dinheiro público e a concorrência deve acontecer até junho, no máximo. Se tudo der certo, um hospital que pelos trâmites normais enfrentaria a burocracia infernal das obras públicas, podendo levar até uma década para ficar pronto, o estará em dois anos. Finalmente, o mutirão de cirurgias oftalmológicas da Quaresma está iniciando e vai devolver a boa visão a centenas de pessoas. Fernando Máximo, o comandante da Sesau, está mostrando serviço. E um serviço digno de elogios.

“É O LIXO DA ESGOTOSFERA!”

Não é possível calar em relação ao ato dantesco e ignóbil da Revista IstoÉ!, que através de um dos seus principais jornalistas publicou uma notícia absurda e doentia, envolvendo as relações entre o Presidente Jair Bolsonaro e a primeira dama, Michelle Bolsonaro. O texto canalha, inclusive, imputa a ela, apenas com ironias e meias palavras, um caso extraconjugal com o ex ministro Osmar Terra. Um caso nojento. Que mereceu uma nota nas redes sociais, assinada por Osmar Terra e que sintetiza o que as pessoas de bem deste Brasil devem pensar de gente que faz esse tipo de coisa tenebrosa, apenas para atingir o Presidente e sua família, já que corrupção não podem falar: A matilha se superou, também me agredindo e àquilo que tenho de mais sagrado: a minha família e a minha integridade moral. É o lixo da esgotosfera nas redes e em setores da imprensa. Não conseguiram nos constranger. Nosso governo já mostrou que fará mudanças que o Brasil precisa e os revanchistas da esquerda junto com o lobby das drogas ficarão na beira do caminho, enquanto o novo Brasil vai passar”. Assinando embaixo!

PERGUNTINHA

Você acha que o movimento das mulheres dos Policiais Militares de Rondônia, que começam nessa sexta em frente ao Primeiro Batalhão, na Capital, será  o primeiro passo para um acordo com o Governo ou o passo inicial para mais um confronto por melhores salários?

Deixe um comentário