A CARTADA DE HILDON E OS ÔNUS DE ROCHA: AS VACINAS NA DISPUTA PELO GOVERNO NO ANO QUE VEM

A CONTINUAREM TANTOS ERROS, É BOM SE ACOSTUMAR COM A MORTE. ELA ESTÁ CHEGANDO CADA VEZ MAIS PERTO
13 de março de 2021
AS NOTÍCIAS SÓ PIORAM: EM DOIS MESES E MEIO, TIVEMOS QUASE TANTAS MORTES POR COVID DO QUE TODO O ANO PASSADO
17 de março de 2021

Uma coisa tem sim a ver com a outra; uma é extensão da outra. Não são assuntos diferentes, embora devessem ser. Mas a crise, a pandemia, as vacinas, a forma como tudo está sendo enfrentado, tudo isso terá, sim, influência muito grande nas eleições gerais de 2022. Tanto em nível nacional quanto estadual. Por enquanto, quem sai com enormes dificuldades, nesse contexto, é o governador Marcos Rocha. A injustiça lhe atinge, porque mesmo com tudo o que tem feito; com todo o trabalho; com noites seguidas insones, com “almoços” feitos quase todos os dias por volta da meia noite; mesmo com todos os gastos e uma batalha árdua, o vírus ainda está ganhando a guerra. Na verdade, o Estado está fazendo quase tudo sozinho, com pouco apoio das Prefeituras. São raras as cidades parceiras, nessa questão, mas Rocha tem sofrido o ônus, embora poucos bônus tem recebido pela batalha que lidera. É injusto? Claro que é. Mas a história se conta também por suas grandes injustiças. No mesmo quadro, o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, jogou sua mais importante cartada, que, se der certo, pode colocá-lo na condição de principal adversário do atual governador, para a sucessão. E se não der? Ninguém espera que não dê, mas pelo tamanho da promessa (400 mil doses de vacinas em 30 dias), o competente Prefeito da Capital tem o ás de ouro na mão, para uma eventual corrida para o Palácio Rio Madeira. O problema, para ele, é o outro lado da moeda: caso enfrente obstáculos inesperados para cumprir o desafio, pode ser muito prejudicado, na corrida palaciana.

Hildon pensou em política e na campanha de 22, quando saiu, célere, à busca de vacinas? Claro que não. Sua intenção é salvar vidas, imunizar 200 mil pessoas, derrotar o vírus. Mas, foge dele o resultado de todo esse esforço, que o coloca, perante os rondonienses, como uma espécie de herói, caso tudo dê certo. O que depende agora é que em 30 dias as doses cheguem e que, imediatamente a isso, comece o maior programa de vacinação que não só Porto Velho e Rondônia já viram, mas também grande parte do país. Hildon está fazendo tudo o que pode para dar certo. Só não dará por questões de podem escapar ao seu controle. Mas, perante a população, isso pode ser a diferença entre o heroísmo e a promessa vã. A torcida geral, agora, é que a Oxford entregue, dentro do que foi combinado, todo o pacote de vacinas. Já Marcos Rocha paga o preço de estar no poder, enquanto a pandemia cresce. E ainda pode sofrer mais, por ser aliado de primeira hora do governo Bolsonaro, que, ao menos até agora, não conseguiu sequer distribuir vacinas em abundância para o país. O quadro hoje é esse!

VACINAS: NESTA QUARTA, PODE CHEGAR NOVO PEQUENO LOTE

A quarta-feira pode marcar a chegada de mais algumas Coronavac. Certamente menos de 10 mil para Rondônia, em um lote de 2 milhões de doses entregues para serem distribuídas em todo o país, na segunda. A maior parte das vacinas serão entregues, proporcionalmente, a Porto Velho. Na Capital, a Prefeitura começa nesta semana a vacinar idosos a partir dos 79 anos. Com mais este lote que está chegando, há chances reais de que ao menos mais essa cota de idosos seja imunizada. Até o domingo, segundo dados oficiais da Sesau, já foram vacinados perto de 55.500 pessoas vacinas e ainda outras 17.300 receberam a segunda dose. Mais de 5 mil indígenas foram imunizados, cerca de 950 deles com a dose final. O total de idosos que tiveram a primeira dose aplicada em perto de 19.700 idosos. Contudo, apenas 2.226 receberam a segunda dose. As vacinas que devem chegar na quarta, em seguida serão distribuídas para todas as 52 Prefeituras do Estado, proporcionalmente.

AMEAÇADO DE MORTE, EX SENADOR PEDE SOCORRO A BOLSONARO

Num longo depoimento, recheado de fotos, divulgados nas  outras redes sociais, o ex-senador e ex-prefeito de Ariquemes, Ernandes Amorim, pede ajuda das autoridades, por estar sendo ameaçado de morte. A tal ponto que teve que deixar o Estado (não contou, obviamente, onde está), porque teme ser assassinado por invasores das suas terras. Amorim afirma que já pediu socorro até ao presidente Jair Bolsonaro e ao vice, General Mourão, relatando o que está passando, sob a mira, segundo ele, de armas de sem terra que teriam invadido áreas de sua propriedade, destruindo prédios, caminhões e equipamentos. E que de lá não são defenestrados. Alega que está aguardando a reintegração de posse, mas que, até agora, nada foi feito não só para retirar aqueles a quem ele chama de criminosos, da área que tomaram à força (sempre segundo suas denúncias). O texto divulgado pelo ex senador afirma que “organizações criminosas fortemente armadas desafiam a Justiça e mantém invasão de terras na região de Campo Novo de Rondônia”. Ele critica também a polícia judiciária por não estar investigando os pretensos crimes dos invasores e nem ter prendido ninguém. O assunto ainda vai longe!

GONÇALVES JÚNIOR TERIA FECHADO ACORDO COM MARCOS ROCHA

Volta à pauta o caso do prefeito João Gonçalves Junior. Fontes palacianas garantem que o jovem alcaide de Jaru, considerado por políticos e personalidades como o melhor de todos no Estado (foi o que comentou a esse blog, o ex-secretário da Casa Civil de Confúcio Moura, o empresário Emerson Castro, apenas para citar um exemplo), já fechou um acordo de parceria com o governador Marcos Rocha, quando ele se lançar à reeleição. Sonho também do MDB, que quer vê-lo no Palácio Rio Madeira/CPA, João Gonçalves já divulgou um vídeo, agradecendo o convite, se dizendo envaidecido e orgulhoso, mas avisando que concorrer ao Governo não faz parte dos seus planos. O motivo seria a aliança já acordada com Rocha. Enquanto isso, em Jaru, palpiteiros e “comentaristas” pseudoisentos do Facebook, dão suas opiniões que podem mudar o mundo, eivadas de desconhecimento e maldade, tentando diminuir quem traz a informação correta. Lamentavelmente, para esses, a caravana continua passando…

OXIGÊNIO: O PERIGO AINDA RONDA OS NOSSOS HOSPITAIS

Mais um efeito colateral do aumento crítico dos casos de Coronavírus no Estado, é o susto de que poderia faltar oxigênio para o Estado. O secretário Fernando Máximo abrandou a situação, afirmando que, ao menos para a rede pública, isso não acontecerá, porque as providências já foram tomadas. Contudo, lamentou que ofícios da Sesau às Prefeituras, há várias semanas, questionando sobre o risco da falta de oxigênio nos municípios, foram ignorados. De uma hora para outra, de surpresa, começaram a surgir informações de que poderia faltar cilindros para atendimento aos doentes. O governo rondoniense já recorreu ao Ministério da Saúde, pedindo apoio. Neste final de semana, a crise chegou a Ariquemes e só não foi maior pela ação imediatas de lideranças como a prefeita Carla Redano e seu marido, o deputado Alex Redano, presidente da Assembleia. Nas redes sociais, Alex relatou o problema e agradeceu apoio do governo e a solidariedade de empresas e empresários, que ajudaram a socorrer o sistema de saúde da cidade. A possível crise do oxigênio, aliás, foi motivo de reunião na manhã desta segunda, no gabinete da presidência da ALE.

SOLIDARIEDADE: PREFEITA AGRADECE AO GOVERNO E EMPRESAS

 A prefeita Carla Redano, também em publicação que fez, fez agradecimentos às empresas White Solder e à Estanho de Rondônia (Ersa), “por nos socorrerem nessa madrugada, com cilindros de oxigênio. Vocês foram cruciais no momento em que mais precisamos”. Agradeceu também ao governador Marcos Rocha e ao secretário de saúde, Fernando Máximo, “pelos 50 cilindros de oxigênio que estão a caminho e também à empresa White Martins, por atender prontamente nosso pedido”. Carla ainda acrescentou que “a Prefeitura tem recursos e está adquirindo mais cilindros de oxigênio. Porém, devido ao momento de urgência e ao aumento da demanda em todo o Estado, algumas empresas também estão com dificuldades em adquirir mais cilindros. Por isso muitos empresários estão emprestando, até que cheguem os nossos”, explicou. É vital que ações sejam tomadas em todas as regiões de Rondônia, para que não se repita a tragédia de Manaus. Por enquanto, ao que parece, a situação ainda está sob controle, mas é bom ficar de olho, porque a crise do oxigênio pode chegar sim, a qualquer momento!   

IVES GANDRA DIZ QUE STF É QUARTO PODER POLÍTICO DO PAÍS

Dividido em quatro poderes políticos (Executivo, Legislativo, Judiciário e o Partido do Supremo Tribunal Federal), o Brasil vive momentos de grande risco, pela insegurança jurídica que enfrentamos, através de decisões inacreditáveis, vindas da mais alta Corte. O PSTF é de autoria do blog, mas a visão de quatro poderes é de ninguém menos do que Ives Gandra, que, aos 86 anos, continua sendo um dos mais respeitados juristas nacionais. Em entrevista ao programa “Jornal da Manhã”, da Jovem Pan, nesta segunda, Gandra disse ainda frases como “a corrente doutrinária no STF trará ainda maior insegurança jurídica para nosso país” e “os ministros estão debatendo como se fossem políticos”. Especificamente nessa questão, citou o caso dos ataques do ministro Marco Aurélio Mello, ao chamar seu colega Alexandre de Moraes de “Xerife” e o presidente do Supremo, Luiz Fux, de “autoritário”. Disse ainda o grande e respeitado jurista: “a ideia dos ministros do STF é que podem consertar o vácuo no Legislativo e corrigir os rumos do Executivo. É o que permeia essa corrente de doutrina constitucional”.  E concluiu: “essa insegurança jurídica não é para a democracia!”.

ROBÔS E PERFIS FALSOS ATACAM O GOVERNO, DENUNCIA ROCHA

Numa Live em suas redes sociais, domingo à noite, Marcos Rocha fez grave denúncia. Afirmou, entre outras coisas, que um grupo de milicianos digitais foi criado para criar Fake News e atacar o seu governo. Prometeu, inclusive, que nos próximos dias vai mostrar alguns dos perfis falsos, com imagens de pessoas de outros Estados e do exterior, que se passam por rondonienses, para os ataques via net. O sistema de robôs já existe há longo tempo e tem sido utilizado principalmente em campanhas políticas. São mensagens falsas, criadas várias vezes ao dia, com ataques a governantes e autoridades, mas também a candidatos que disputam o pleito. Os “Mavi” são os militantes que criam perfis falsos, para fazerem seus ataques. Rocha disse que o presidente Bolsonaro também foi e continua sendo vítima deste tipo de ataque, “inclusive através de gente que ele ajudou a eleger e que agora o traem”, dizendo que o mesmo aconteceu em Rondônia. Aguarda-se agora mais detalhes sobre o assunto, com os perfis falsos mostrados pelo governador e seus parceiros.  

PERGUNTINHA

Você que ainda não foi vacinado, apesar de fazer parte dos grupos de riscos, também está torcendo que sua salvação chegue para você antes do vírus mortal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *