PERFEIÇÃO? NÃO ACEITAR CRÍTICAS É UMA FORMA DE SOBERBA E DE DIZER QUE TUDO ESTÁ CEM POR CENTO. NÃO ESTÁ!

O DESEMPREGO ATINGE MILHARES DE JOVENS EM RONDÔNIA. SITUAÇÃO É AINDA PIOR EM PORTO VELHO
29 de junho de 2019
DOENTES, NA FILA E ABANDONADOS: É SÓ UM EXEMPLO DA FALTA DE PLANEJAMENTO E DO DESRESPEITO COM OS MAIS FRACOS
2 de julho de 2019


Há alguma dúvida sobre o sucesso da Rondônia Rural Show? Claro que não há. A feira, criada por Confúcio Moura, chegou agora na sua edição número oito, sob o comando do governo Marcos Rocha, crescendo cada vez mais e se solidificando como a maior exposição do setor em toda a região norte, consolidada como a oitava no seu gênero, em todo o país. Os negócios fechados nesse ano, numa exposição de negócios que já é internacional,  chegaram a mais de 700 milhões de reais. No ano que vem, a feira será inaugurada pelo presidente Jair Bolsonaro, que já prometeu que virá para a abertura do maior evento do agronegócio rondoniense. Realizada numa área de 50 mil metros quadrados, a onze quilômetros do centro de Ji-Paraná, a feira começou faturando pouco mais de 186 milhões em 2012 e para o próximo ano pode superar o 1 bilhão em negócios, caso continue nesse crescendo, com a economia regional se mantendo em evolução. Então, a Rondônia Rural Show é um exemplo de perfeição? Obviamente que não é. Faltam muitas coisas. Algumas: poeira e barro. Onde está o asfalto tão necessário para melhor a qualidade do local? Falta de energia: constantemente, a luz vai embora. Pior ainda: não se consegue usar celular, nem cartão de bancos, porque não há internet. Hoje em dia, tem como fazer algum negócio sem a internet e suas facilidades? Não tem. Um outro ingrediente são os preços abusivos cobrados na alimentação. Uma banda de tambaqui vendida a 90 reais é um preço justo?

Semanas atrás, numa reunião no Sebrae, um grupo de conselheiros do órgão tentou enviar ao Governo de Rondônia uma carta com sugestões e críticas, todas extremamente construtivas, para correção desses problemas da maior feira do Estado.  Pra que! Representantes do Governo no Conselho não aceitaram, dizendo que as questões já eram do conhecimento da Seagri e que tudo seria corrigido. Como se a nova administração do Estado  estivesse acima de qualquer crítica ou sugestão; como se qualquer insinuação de que tudo não está perfeito, fosse recebida como ofensa. Sem crítica, não aquela que destrói apenas, mas aquela que ajuda a construir ou reconstruir, não há governo que possa se sentir seguro de que tem preparo para mudar rumos e corrigir defeitos. Não aceitar a crítica é uma forma de soberba, de demonstração clara de amadorismo e inexperiência. Devagar com o andor! No Sebrae e em outras entidades importantes do Estado, quando há posicionamentos dos empresários, a intenção, no geral, é ajudar, a fazer melhor, a crescer. Espera-se que o governador Marcos Rocha, um símbolo pessoal da humildade, tome conhecimento do assunto e receba a carta produzida que, até agora, não lhe foi enviada, porque seus representantes certamente acham que estão fazendo tudo certo, muito melhor que a encomenda. Não estão.



ENERGIA: DEBATE E PROJETO CONTRA O ABUSO

Uma decisão da Justiça federal, que considerou abusivo o reajuste das tarifas de energia no vizinho Acre, determinando a devolução dos valores cobrados a mais, animou ainda mais a deputada federal Mariana Carvalho, que programou para essa próxima sexta, na Assembleia Legislativa, uma audiência pública para discutir o aumento autorizado para Rondônia. A intenção é ouvir a sociedade e propor medidas, inclusive judiciais, que também possam considerar os reajustes em Rondônia como abusivos. O centro dos debates será um Projeto de Decreto Legislativo (PDL), de autoria da própria Mariana, que pretende sustar todas as decisões emanadas da Aneel, que autorizaram os reajustes que ultrapassaram os 25 por cento, numa tacada só, deixando o consumidor rondoniense no desespero, pelo custo exagerado das suas contas de energia a partir de dezembro passado. Do encontro devem participar, entre outros, representantes do Ministério Público do Estado; da direção da Fecomércio; do órgão de Defesa do Consumidor, advogado Gabriel Tomaseti; da Defensoria Pública; do Sindicato das Micro e Pequenas Empresas do Estado, o SIMPI e várias outras entidades e instituições. O deputado Rafael Motta, do Rio  Grande do Norte, que é o relator do PDL proposto por Mariana, também estará presente. O evento está marcado para começar às 10 horas da manhã e deve reunir grande público, pela importância do tema.


OS GOVERNADORES E A VIDA DE SOLTEIRO

Em Brasília, vários governadores dizem que querem a inclusão de estados e municípios na reforma da previdência. Pelo menos 25 deles já assinaram documento nesse sentido. Quando voltam para casa, contudo, muitos mudam o discurso, temendo a reação do eleitorado. Essa é uma das maiores queixas do Palácio do Planalto e aliados. Um parlamentar governista chegou a usar uma analogia; “Alguns governadores estão fazendo como aqueles casados que levam vida de solteiro. Ou seja, numa hora, são sérios e demonstram querer que o Brasil avance. Noutra, quando estão em suas bases, fazem a festa, temendo que a população fique contra eles e dizem que não aceitarão a reforma. Entre os governadores, o rondoniense Marcos Rocha é um dos que têm mostrando maior fidelidade ao Planalto. Ele tem repetido que apoia completamente a reforma proposta pelo governo e, sem ela, o país corre grande risco de quebrar. Nessa terça é exatamente isso que ele vai repetir, durante mais um  encontro de governadores em Brasília, onde a reforma previdenciária será novamente o assunto principal da pauta.


COBRAS ATACAM.  NÃO TEM VACINA

Há vários tipos de cobras na região, muitas delas venenosas. A tal ponto que, até há pouco tempo, Rondônia recebia algo em torno de 1.200 doses de vacinas por mês. Havia períodos em que o estoque não era suficiente, tal o volume de pessoas picadas, em todas as regiões. O número de acidentes com cobras foi diminuindo, mas mesmo assim o perigo permanece. O problema é que nos últimos tempos, o número de doses enviadas ao Estado, caiu para menos de 10 por cento do que era antes. Está na média de apenas 100 doses. Aproximadamente 30 mil casos de ataques de cobras acontecem durante o ano no país, Mais de 30 por cento deles na Amazônia. Em Rondônia, no ano passado, houve perto de uma centena de casos. Das 375 espécies de serpentes no país, 150 estão na Amazônia. Só na área de Porto Velho e seus distritos, há 95 tipos diferentes de serpentes, muitas delas venenosas. Do total, muitas estão entre os 91 tipos que fazem parte do grupo das que podem matar uma pessoa com seu veneno. As cobras mais peçonhentas do país são de quatro espécies: Surucucu, Cascavel, Coral, e Jararaca. Essa última representa sozinha, mais de  85 por cento dos acidentes com serpentes. Confúcio diz que, pela falta de vacinas, já foram registradas mortes no Estado  e exige que os estoques sejam repostos imediatamente. O Ministério da Saúde, ao menos até agora, não se pronunciou.


AQUI, FALTOU POVO AO LADO DE MORO

Embora em várias cidades do Brasil, principalmente nas grandes, como Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte, muita gente tenha participado das manifestações pró Sérgio Moro, pela reforma da Previdência e contra o Congresso e o STF, em Porto Velho a participação foi pequena. No domingo à tarde, por volta das cinco da tarde, quando se esperava o pico das manifestações no Espaço Alternativo, com muito boa vontade, se poderia dizer que havia mais de 300 pessoas. Havia sim grandes bandeiras do pais, muito barulho do carro de som, discursos empolgados, mas faltou o principal: o povo, já que o porto velhense ignorou a manifestação. Em outros encontros pró governo Bolsonaro e seus aliados, se registrou muito mais gente. Mesmo assim foi positivo, até porque o que leva gente para as ruas nunca é solidariedade ou apoio, mas sim os eventos de protesto. Como o mote principal do domingo era dar aval ao governo e ao ministro da Justiça, a mobilização, por            aqui, foi menor do que se esperava. Já em outros estados, capitais e grandes cidades, Sérgio Moro saiu como o grande vencedor perante milhares de brasileiros do bem, que estão ao seu lado e ao lado do Brasil.



MAU GOSTO DEU VONTADE DE VOMITAR

Deu vontade de vomitar (houve quem vomitou!), ao assistir um quadro de humor do programa Zorra Total, neste sábado passado, na TV Globo. Uma das coisas mais horríveis, de mau gosto, de violência contra o verdadeiro humor, praticado pela emissora que entrou em desespero, logo que começou a perder milhões de reais de verbas públicas, cortadas no atual governo. Os constantes prejuízos financeiros; a necessidade de enxugar o elenco e diminuir mordomias e a perda de pelo menos 30 por cento da audiência nos últimos anos, se acentuando desde que surgiu o fenômeno Bolsonaro, certamente tiveram influência na decisão da Globo em por no ar algo tão triste e ridículo. Escondido sob uma tentativa de parecer que estava fazendo piada, a emissora criou um quadro ofendendo o Presidente da República e o apresentou como enviado do Diabo, na Marcha para Jesus, realizada na semana passada. Um ator que se prestou a fazer um papel como esse, apresentou-se como Jesus Cristo, xingando Bolsonaro, que seria o representante do Diabo, por “defender o uso de armas e discriminar o ódio”. (Veja o vídeo no link https://www.google.com.br/amp/s/www.otvfoco.com.br/video-bolsonaro-e-associado-ao-diabo-pela-globo-e-detalhes-impressionantes-do-ataque-sao-revelados/amp/). Um acinte. Desrespeito puro, fingindo ser criatividade e humor. O que ficou foi um gosto ruim na boca dos que assistiram a nojeira (e são cada vez menos, pela péssima qualidade do programa). Uma pena que a mais poderosa emissora brasileira tenha chegado a esse ponto. Lamentável!


O DOMINGO DECISIVO EM CANDEIAS

Domingo tem eleição. Isso mesmo. Ela vai escolher o terceiro prefeito de Candeias do Jamari em dois anos e meio. E dará ao eleito a possibilidade de concluir o atual mandato e, ainda, disputar a reeleição, em 2020. O primeiro prefeito da cidade, eleito em 2016,  Chico Pernambuco, foi covardemente assassinado. Seu vice, Luís Ikenouchi, assumiu o cargo. Meses depois, um parente do vice foi preso, acusado de ter comandado o assassinato. Nunca foi comprovado qualquer envolvimento do sucessor na morte do Prefeito Pernambuco. Luis foi afastado pela Câmara de Vereadores, com quem sempre conviveu em confrontos políticos, por outros motivos. Foi cassado, através de ações da Câmara, nunca muito bem esclarecidas. A Justiça manteve a decisão e marcou novas eleições. Elas acontecem neste domingo, dia 7, com três candidatos. Lucivaldo Fabrício era o presidente da Câmara e desde fevereiro é o Prefeito interino. Ele disputa contra um nome muito forte, o do ex deputado estadual Ribamar Araújo, muito respeitado na cidade e em toda a região, por sua histórica vida pública, sem qualquer mancha. Outro candidato é Walter Queiroz. O PSTU concorre com Paulo Cadilac. Se acontecer um milagre e ele se eleger, será o primeiro político brasileiro a ser eleito pela sigla nanica. Candeias ferve até domingo. Tomara que a população escolha o melhor.


PERGUNTINHA

Qual das duas Seleções que se enfrentam em jogo decisivo, nesta terça à noite, é menos ruim e merece seguir em frente na disputa pela Copa América: o Brasil chinfrim de Tite ou a Argentina sem um time decente, de Leonel Messi?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *