EM APENAS UM ANO, RONDÔNIA PERDEU NADA MENOS DO QUE 4.783 VIDAS PARA O VÍRUS ASSASSINO

CARNAVAL VIRA FESTA DE INCOMPETÊNCIA E DECISÕES INACREDITÁVEIS DE AUTORIDADES BRASILEIRAS
12 de janeiro de 2022
JANELA DE MARÇO PODE REPRESENTAR A MAIOR TROCA DE PARTIDOS DA NOSSA HISTÓRIA RECENTE
15 de janeiro de 2022

Um ano se passou. Em 15 de janeiro de 2021, a pandemia começava a trazer números cada vez maiores da pandemia, que começa a registrar grande número de óbitos, em seu primeiro ano de duro ataque à saúde de milhares de rondonienses e, também, a milhões de brasileiros. O Boletim da Agevisa, Sesau e  Ministério da Saúde, de número 301, com data da sexta-feira, 15.01 do ano passado, já havia enlutado 1.995 famílias no nosso Estado. O total de contaminados, naquela data, era de 107.332 casos. O sistema de atendimento começava a inflar, com nada menos do que 439 pessoas internadas, com cerca de 20 por cento (cerca de 88 pessoas), já ocupando leitos de UTI. O ano de 2021 foi de extrema violência do vírus, pelo menos até o mês de julho, quando os números já começavam a baixar, mesmo que lentamente. Vejamos os dados do Boletim 498, de 31 de julho passado. Neles, aparecem 257.845 contaminados (2,4 vezes mais que em janeiro e do Boletim 201). Pior de tudo, o total de óbitos já tinha superado 6.368, ou seja, em apenas pouco mais de seis meses, contabilizávamos 4.373 mortes para lamentar. O que começava a haver de positivo é a diminuição dos internados. Eram 206 no final de julho, menos da metade do que se registrava no início do 2021 passado. Agora, um ano depois, choramos um total de 6.778 vidas perdidas para o vírus. Isso significa que, em 12 meses, o total de mortos foi de 4.783, numa triste média de 398 óbitos ou 13 por dia. Nos últimos meses, chegamos a ter apenas 47 pessoas internadas, mas com a nova onda ele subiu para 149 hospitalizados no dia 12 deste janeiro.

Os piores momentos da pandemia já passaram? Esta é a pergunta cuja resposta vale alguns milhões de dólares. Em 2020, até que a vacinação iniciasse, o Coronavírus atacou com toda a força e levou muitas e muitas vidas. Depois que as primeiras doses foram aplicadas, aos poucos, os números trágicos diminuíram. Os primeiros milhões de segundas doses ajudaram mais ainda. A situação melhorou mais ainda com a dose de reforço. Assim, os números negativos foram caindo mês a mês, até que, no final do ano passado, uma nova onda, trazida por cepas recém descobertas, concretizaram a volta de contágios preocupantes, hospitalizações e novas mortes. Os otimistas acham que o organismo começa a ter cada vez mais anticorpos e, com as vacinas, o vírus tende a se tornar menos agressivo, mesmo com as novas cepas. Os pessimistas temem que o fim da pandemia ainda está muito distante e que, até que consigamos conviver com o vírus, que estará sempre entre nós, vamos ter ainda muitas perdas e danos. A verdade é que ninguém tem certeza de nada, quando o assunto é o vírus assassino, que veio da China para atacar a Humanidade.

A VOLTA DA COVID: DE 368 SERVIDORES TESTADOS NO PALÁCIO DO GOVERNO, 73 ESTÃO POSITIVADOS

Num vídeo divulgado nesta quinta, nas suas redes sociais, o deputado estadual Jair Montes, aliado do governo, retrata sua preocupação com o aumento significativo de novos casos da Covid 19. O parlamentar destaca uma informação importante: o grande número de pessoas, sem qualquer sintoma, que testaram positivo para a doença, dentro do palácio Rio Madeira/CPA, sede do governo rondoniense. Montes fez questão de ressaltar que todos os testes positivados foram de pessoas que não tinham qualquer sintoma da doença. O que surpreendeu foi o resultado final. Dos 368 testes realizados dentro do Palácio, numa iniciativa do secretário Fernando Máximo, da Sesau, para saber da situação dos servidores dentro do coração do governo, 73 deram positivos, ou seja quase 20 por cento. Na grande maioria dos casos, os que apareceram com resultado positivo para o vírus se surpreenderam, porque não tinham, ao menos até agora, nenhum sintoma. A grande maioria dos que fizeram o teste já haviam recebido pelo menos duas doses da vacina e um percentual menor, já tinham se submetido à terceira dose, a de reforço. Todos os 73 (detectados na primeira fase dos testes, porque outras serão realizadas), são imediatamente mandados para casa e para uma quarentena mínima de dez dias, com orientações sobre todos os cuidados que devem manter. Desde a quarta-feira, portanto, o núcleo principal do governo rondoniense está atuando com menos 20 por cento da sua força de trabalho, entre os servidores testados. O governador Marcos Rocha e a primeira dama, Luana Rocha, não estão entre os 368 testados na Sesau.





DECRETO DO BOM SENSO: CAPITAL CANCELA QUALQUER ATIVIDADE PARA O CARNAVAL DESTE ANO

Certamente, uma decisão de bom senso, que indica a preocupação com a volta do vírus, atacando com força novamente, neste momento. Diante do aumento de casos de Covid-19 e o surto de influenza na capital, a Prefeitura decidiu cancelar a realização das festividades de carnaval em Porto Velho no ano de 2022. Decreto neste sentido foi assinado pelo prefeito Hildon Chaves, nesta quinta-feira. Pelo decreto, “estão proibidos quaisquer eventos públicos ou privados, em ambientes abertos ou fechados, alusivos ao carnaval 2022. A medida tem o objetivo de evitar aglomerações e, consequentemente, novas contaminações pelo Coronavírus ou pela gripe influenza”. Bares, restaurantes e boates podem funcionar, desde que adotem os protocolos e as medidas sanitárias exigidos pela legislação. Com isso, fica definido que a Capital rondoniense não terá qualquer tipo de concentração carnavalesca. A Banda do Vai Quem Quer e a Associação das Escolas de Samba, aliás, já haviam decidido também não realizar o Carnaval deste ano. Pelo menos por aqui, decisão sábia, ao contrário de outras capitais do país, onde a questão se tornou um emaranhado de incompetência e decisões contraditórias.

TCHAU POEIRA, UM PROJETO BEM SUCEDIDO QUE MELHORA A QUALIDADE DE VIDA DE MILHARES DE RONDONIENSES

Não há qualquer dúvida que o governo rondoniense deu uma dentro, com a criação do programa Tchau Poeira, em parceria com os municípios. Os resultados obtidos nos últimos meses do ano passado comprovam o acerto do projeto. O propósito é levar às cidades rondonienses nada menos do que 680 quilômetros de obras de melhorias viárias urbanas, com investimentos iniciais de 360 milhões de reais e que, somados a outros programas do Estado nos municípios, pode chegar a até 1 bilhão de reais, até o final deste ano. Apenas com o Tchau Poeira, por execução direta do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), o projeto prevê quase 60 quilômetros de pavimentação e mais de 200 quilômetros de recapeamento ou micro revestimento em 19 municípios. Só aí, os investimentos são de mais de 104 milhões de reais. Por execução indireta, ou seja, por contratação de empresas pelo Governo, são mais de 160 quilômetros de pavimentação, contemplando 28 municípios. Neste caso, os gastos superam os 142 milhões de reais. Com mais de 93 quilômetros de recapeamento, alcançando 23 municípios, outros 30 milhões serão investidos. Há ainda outra forma para a parceria: através de convênio com as prefeituras, que é o repasse de recurso, serão cerca de 165 quilômetros de asfalto novo e recapeamento destinados a 11 municípios com o custo de quase 87 milhões de reais. Ou seja, este gigantesco projeto, que vai beneficiar praticamente todas as cidades rondonienses, começa 2022 garantindo melhor qualidade de vida para as comunidades. Acrescente-se ainda que, apenas para a Capital, com o Tchau Poeira e outras parcerias, o Estado garantiu investimentos de mais de 100 milhões de reais.

LADRÕES GENIAIS QUE LEVARAM ATÉ UM TRANSFORMADOR E RECEPTADORES QUE NUNCA SÃO PRESOS, AGEM IMPUNES

Há algo muito errado com relação ao roubo da fiação elétrica em Porto Velho. No ano passado, o prejuízo aos cofres da Emdur, com a reposição de tudo o que foi furtado, chegou a mais de 600 mil reais. Vários pontos da cidade têm sido atacados, com os bandidos agindo livremente, já que não há fiscalização e muito menos policiamento para impedir os ataques. A avenida Mamoré tem sido campeã de fios de cobre levados. Recentemente, até o transformador de um condomínio de luxo, em pleno centro da cidade, foi levado pelos ladrões, que certamente puderam “trabalhar” durante horas, sem serem importunados, para poderem levar o enorme e pesado equipamento. Há ainda outro local predileto dos criminosos, certamente pessoas especializadas, já que raramente se acidentam, apesar de cortaram fios de corrente elétrica que, facilmente, poderiam matá-los. Nesta semana, o prefeito Hildon Chaves pediu novamente o apoio da população, para que denuncie quando observar a retirada da fiação no Espaço Alternativo, onde, dia sim, dia não, a Prefeitura tem que repor os fios de energia roubados. Estes criminosos, nunca pegos, devem ser geniais, já que atacam em vários pontos da Capital, levam o que querem e vendem para receptadores que jamais são localizados e presos. A nossa competente polícia está devendo a solução desses crimes para a sociedade porto velhense.

“VELOCIDADE DE 30 POR HORA É SÓ PARA ACOMPANHAR ENTERRO”, IRONIZA PORTO VELHENSE

Andar a 30 quilômetros por hora nas ruas de uma cidade como Porto Velho, só se for para acompanhar enterro!”. A ironia é de um importante personagem da Capital, que prefere manter-se anônimo, transmitindo o sentimento de muitos motoristas, que não entendem a decisão da Semtran em determinar que várias ruas da cidade tenham velocidade máximo de 30 quilômetros. Ora, basta ficar alguns minutos parados em qualquer esquina onde esta velocidade está pintada nas faixas de ruas e avenidas para ver que, sem qualquer dúvida, nenhum, absolutamente nenhum motorista andam a essa velocidade. A média normal é de, no mínimo 40 quilômetros por hora. Caso os condutores de veículos cumprissem a determinação do slow-motion imposto ao nosso trânsito, viveríamos em eternos engarrafamentos, porque o bom senso indica que esta velocidade é impraticável. O mesmo motorista que reclamou da medida, lembrou ainda que em algumas avenidas da cidade e em alguns trechos – citou a Duque de Caxias, mas poderia apontar várias outras – seria absolutamente impossível se andar numa lentidão tão exagerada. O 30 km por hora deve ser aplicada apenas em locais de grande perigo ou em eventos especiais. O pior é que, com esta decisão, qualquer fiscalização pode aplicar multas até pesadas nos motoristas que, sem exceção, não cumprem a norma da Semtran.  Com exceção de quem acompanha carros funerários, quando levam alguém para sua última morada, não há quem consiga se arrastar pela cidade a uma velocidade de bicicleta. Está na hora de rever essa norma esdrúxula!

COM TRIPULAÇÕES ATINGIDAS PELA COVID, COMPANHIAS AÉREAS CANCELAM VOOS, INCLUSIVE EM PORTO VELHO

O aeroporto de Porto Velho não escapou da confusão generalizada que ocorreu em praticamente todas as regiões do país, por causa do aumento do número de casos dee Covid, principalmente da nova cepa, a Omicron. Atingidos pela doença, pilotos e comissários de bordo, além de pessoal de terra, de praticamente todas as companhias aéreas, tiveram que entrar em quarentena. Com isso, os aviões não têm como sair do chão, com o cancelamento de inúmeros voos. Nesta semana, chegou a haver um princípio de confusão no balcão da empresa Azul, que, aliás, até agora, vinha sendo muito elogiada por sua pontualidade e atendimento. O problema maior nem é a transferência ou cancelamento de voos, mas a falta de informações corretas aos passageiros, muitas vezes informados na última hora, depois de terem ficado longo tempo em filas, de que não vão poder viajar. Em todo o país, num só dia, mais de 200 vioos chegaram a ser cancelados ou transferidos, por falta de tripulação. Na maioria dos casos, mesmo positivados, pilotos e comissários têm sido afetados com pouca agressividade pelo vírus, até porque praticamente todos já estão imunizados. Não há, ao menos por enquanto, qualquer certeza de que aquela viagem aérea que você marcou, vai acontecer como o previsto e agendado. A Azul tem dito que o problema atinge apenas 10 por cento dos seus voos.

PERGUNTINHA

Na sua opinião, o presidente Bolsonaro deve conceder aumento salarial apenas para a Polícia Federal e outros setores da segurança pública, como prometeu ou deveria optar por outros dois caminhos: reajustar todas as categorias do funcionalismo ou não fazê-lo para  nenhuma delas?

Os comentários estão encerrados.