COM MAIS DE 2 MILHÕES DE VACINAS APLICADAS, A PANDEMIA ESTÁ CADA VEZ MENOS AGRESSIVA EM RONDÔNIA

A FICÇÃO QUASE REAL: LULA SERIA OVACIONADO NA ONU POR DISCURSO EM DEFESA DO BRASIL
27 de setembro de 2021
CPI DO CIRCO MENTE SOBRE OMISSÃO DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA NO CASO PREVENT
29 de setembro de 2021

Dois milhões e 300 mil doses de vacinas já chegaram a Rondônia, desde a chegada do primeiro lote, no início de janeiro deste ano. Quando foi aplicada a primeira vacina, no Estado – a data foi 19 de janeiro deste ano – tínhamos nada menos do que 111.372 casos confirmados (406.405 na Capital) e 2.044 óbitos, dos quais, já naquela data, segundo o Boletim 305 da Sesau, 461 pacientes estavam internados, muitos deles já em situação muito ruim nas UTIs do Estado e nos hospitais privados. Se imaginava, naquele início de ano, que o pior já tinha passado e que o vírus começaria a recuar, ainda mais com a chegada das vacinas. Infelizmente, não foi o que aconteceu. Poucos meses depois, a nova onda do Coronavírus veio com toda a força. E muito mais mortal. No Boletim 480, de 13 de julho deste ano, mesmo depois das primeiras doses da vacina em milhares de rondonienses, a doença ainda estava forte. Naquela data, registrávamos nada menos do que 252.289 casos, dos quais 547 em apenas 24 horas, com um total de 6.287 óbitos, dos quais nove em apenas um dia. No mesmo dia, o Boletim da Sesau anunciava que tínhamos vacinado quase 594 mil pessoas com a primeira dose e outras 190 mil com a segunda. Foi a partir dali e, sem dúvida alguma, graças ao aumento constante da vacinação, que os números começaram a cair. Já em agosto, isso ficava comprovado pelos números: apenas oito novos casos e quatro mortes, naquela quinta-feira, 12 de agosto. De lá para cá, com a chegada de cada vez mais vacinas, a pandemia começou a fraquejar, diminuído praticamente todos os dias. Em Rondônia, ao menos até agora, nem as novas e perigosas cepas que aqui já chegaram, não causaram um só óbito.

No Boletim 555, da terça-feira, os números eram alvissareiros. Desde o sábado não tivemos nenhum óbito. O número de novos casos continua caindo (foram apenas dois) e os hospitais estão cada vez mais vazios. Haviam, nesta quarta, apenas 67 pacientes internados, o menor número desde o primeiro pico da pandemia. Das 2 milhões e 300 mil doses recebidas (a maior parte delas da Astrazeneca, com quase 700 mil doses), oficialmente, segundo os números da Sesau e do Ministério da Saúde, mais de 2 milhões e 40 mil já foram aplicadas. A aplicação da terceira dose, a de reforço, em pessoas com mais de 70 anos e em profissionais da saúde, recém começou. Ainda faltam perto de 260 mil vacinas para serem aplicadas, mas elas logo o serão, na medida em que avançarem os dias. Se não houver alguma surpresa negativa, como mortes pelas novas cepas, coisa que  não ocorreu até agora, a tendência é de que chegaremos ao final do ano com grandes chances de termos nos livrado do pior da pandemia. Enfim, foram as vacinas que nos salvaram…

ADEUS ASFALTO DA B R 319. MAIS UMA VEZ, A JUSTIÇA FEDERAL BLOQUEIA A OBRA

Ainda havia sonhadores imaginando que quem manda nesta parte do país é a população que aqui mora e que as grandes prioridades são, unicamente, suas necessidades. Seria cômico, não fosse trágico. Como aqui neste espaço sempre se alertou, o asfaltamento da BR 319 só vai sair quando o Sargento Garcia prender o Zorro. Chegou a haver um fio de esperança, mas ele foi destruído novamente por decisão da Justiça Federal, que atendendo pela enésima vez pedido do Ministério Público Federal, proibiu, agora, até as audiências públicas programadas para se discutir a obra. Ou seja, na democracia brasileira, audiência pública, que daria um ar de participação popular para discussões sobre o reasfaltamento da 319, estão proibidas pelo Judiciário. A alegação é sempre a mesma, aliás, defendida também pelos grandes interesses empresariais para que a obra jamais ocorra e pelas ONGs, nacionais e internacionais: faltam ainda estudos de impacto ambiental. Não importa quantos milhares de estudos sejam feitos, eles nunca são e nunca serão suficientes. Portanto, aos pobres coitados que imaginavam que dessa vez a obra sairia, nossos pêsames!

DANÇA DAS CADEIRAS NA ALE: SAULO AINDA É DEPUTADO, MAS JEAN ESTÁ CHEGANDO…

Saiu Edson Martins, entrou Saulo Moreira. Daqui a pouco, sairá Saulo e entrará Jean Mendonça? Tantas decisões judiciais conflitantes deixam o eleitor confuso, mas a legislação eleitoral é assim mesmo. Num dos únicos países do mundo onde existe Justiça Eleitoral, é sempre ela que dá a última palavra sobre quem tem direito e quem não tem de ocupar cadeira como eleito. A Assembleia Legislativa, num curto espaço de tempo, perde três deputados e ganha dois. Primeiro, foi a saída do deputado Aélcio da TV, cassado porque teria abusado de propaganda na Televisão, fora do período autorizado pela legislação. Em seu lugar, assumiu Ribamar Araújo. Depois, foi a vez de Edson Martins, condenado pela Justiça comum, quem também perdeu seus direitos políticos. Saulo Moreira chegou para ocupar sua cadeira. A posse, também sub judice, já que o parlamentar de Ariquemes enfrenta problemas legais, foi autorizada pelo Judiciário. Pouco depois, decisão monocrática de um ministro do TSE determinou nova contagem de votos e sem os votos dados a Saulo. O beneficiado, agora, seria o jovem ex-prefeito de Pimenta Bueno, Jean Mendonça. Por enquanto, Saulo permanece no cargo, até porque ainda há recursos e só uma decisão do pleno do TSE pode tirá-lo de sua cadeira. Mas, que a situação é cheia de idas e voltas, é real. Não se sabe ainda como vai acabar mais esse capítulo da dança das cadeiras na ALE.  

ENQUANTO O HEURO NÃO SAI DO LUGAR, CAPITAL GANHA NOVO HOSPITAL PRIVADO

Enquanto o Hospital de Urgência e Emergência de Porto Velho, o Heuro, continua empacado por questões técnicas impostas pelo Tribunal de Contas do Estado, ao ponto de não se ter a mínima ideia de que algum dia a obra comece, a iniciativa privada na saúde vem dando exemplo de como pode prestar os melhores serviços à coletividade. Prova disso foi a inauguração, nesta terça-feira, do novo pronto socorro do Hospital Samar, na Capital rondoniense. O médico Alexandre Silva, um dos diretores do Hospital, junto com seu pai, o respeitado médico e empresário Paulo Silva, comemoram, ao lado de uma grande equipe, a abertura do novo empreendimento, que terá mais de 500 metros quadrados. O pronto socorro terá equipamentos de última geração e uma equipe médica composta por alguns dos mais renomados profissionais do Estado. É mais uma estrutura vinda da iniciativa privada, para dar ainda mais qualidade à saúde em nossa Capital e no Estado.





QUEM SABE UM DIA A POPULAÇÃO MAIS POBRE TERÁ PRIORIDADE SOBRE A BUROCRACIA INFERNAL?

O novo empreendimento se tornou realidade, graças a muito esforço e pesados investimentos, como tantos outros que eventualmente surgem por aqui, nesta área. E surgiu rapidamente, porque não precisa prestar contas a inúmeros órgãos de fiscalização, que exigem o cumprimento de regras, algumas surpreendentes e, mais que isso, não abrem mão de que sejam escalados todos os degraus da  infernal burocracia exigida no serviço público. Por isso os hospitais privados se multiplicam, enquanto as pessoas mais pobres, que não têm acesso a planos de saúde e muito menos dinheiro para pagar consultas e internações particulares, ficam parecendo gente que não é prioridade. Lamentavelmente, obras como o Heuro ficam décadas jogadas, como se não fossem prioritárias e, quando estão prestes a ser realidade, perecem no projeto, porque há uma firula aqui, outro desencontro ali, uma vírgula mal colocada num texto, algumas falhas nos projetos. E a pobre população fica sonhando para que, quem sabe um dia, na hora de atrasar por décadas obras vitais para o atendimento de toda essa gente que depende totalmente da saúde pública, as chamadas autoridades responsáveis lembrem-se da existência delas e as priorizem, acima da burocracia sem fim. Mas daí já é pedir demais, não é?

EM BREVE, COMEÇA A VACINAÇÃO PARA IDOSOS A PARTIR DOS 60 ANOS, ANUNCIA MINISTRO

Depois dos idosos acima dos 70 anos, será a vez dos mais “jovens”, os com 60 anos ou mais. Esse grupo de milhões de brasileiros, que já receberam a segunda dose das vacinas, poderão começar a receber a dose extra a partir de agora. Estarão aptos todos os que receberam a segunda dose em seis meses ou mais.  O anúncio foi feito pelo ministro da saúde, Marcelo Queiroga. A terceira dose, aliás, já está sendo aplicada neste público em Salvador e São Paulo, as primeiras duas capitais a trazerem o benefício para sua população sessentona. Também receberão a terceira dose todos os profissionais da saúde, além das pessoas com doenças imunosuprimidas, como Aids e outras assemelhadas. O governo federal pretende anunciar a vacinação de todos os brasileiros adultos, com duas doses, até o final deste outubro que está chegando. A partir daí, começará um projeto de ampliação da terceira dose, embora isso ainda não tenha sido definido. Em Rondônia, a dose extra já está sendo aplicada para os primeiros grupos desde a semana passada.

SERÁ QUE LUCIANO HANG CONSEGUIRÁ PARTICIPAR DA CPI DO CIRCO SEM VOMITAR?

A CPI do circo, a CPI do Ridículo, a CPI da malandragem, terá, nesta quarta-feira, mais um daqueles dias em que a história do parlamento brasileiro vai se envergonhar de lembrar, no futuro. Conduzida por senadores de oposição, alguns mais que suspeitos e outros que jamais fizeram nada pelo país, a Comissão, pela maioria dos seus componentes, vai tentar criminalizar, ridicularizar, ofender e atacar um grande brasileiro. O megaempresário Luciano Hang, que cometeu o delito de defender o verde e amarelo, o seu país, sua Nação, aquele mesmo que criou nada menos do 22 mil empregos, vai ter que se sentar no mesmo ambiente do que algumas das figuras mais sinistras da política nacional, como os senadores Omar Aziz e, principalmente, o senador que responde a mais de 17 processos, o sinistro Renan Calheiros. A que ponto chegamos neste Brasil dos valores invertidos: suspeitos de mamarem nas tetas dos cofres públicos e os atacar sem dó, alguns dos que envergonham a Nação, tratando pessoas de bem como se fossem iguais a eles. Que Luciano Hang consiga participar do circo, sem vomitar. E que saia tão grande quanto, verdadeiramente, ele é!

PETRÓLEO E ENERGIA: PAGAMOS MUITO CARO, MAS OS PREÇOS NO MUNDO TAMBÉM DERAM SALTOS

Claro que o que interessa é o nosso problema, na nossa casa, o nosso bolso. Mas isso não significa que se ignore o que está acontecendo no restante do mundo. Aqui no Brasil, os preços dos derivados do petróleo (gasolina, óleo diesel, gás de cozinha) estão absurdos, principalmente pelos pacotes inacreditáveis de impostos. A conta de luz também assusta, ainda mais agora, com a banda vermelha, que ainda a aumentou mais. Mas em outras regiões do Planeta, neste período de pandemia, os aumentos também foram muito grandes. Por exemplo: os preços do petróleo e da energia também deram um salto no mundo inteiro. No Reino Unido (Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte), desde abril do ano passado, os reajustes chegaram a bater nos 300 por cento, segundo informações da CNN. Em toda a Europa, a energia elétrica subiu, em média, 280 por cento. Nos Estados Unidos, o reajuste médio chegou a 100 por cento, conforme a renomada agência Reuters. O barril do petróleo está batendo nos 85 dólares, quando custava 23 dólares em abril do ano passado, segundo estudos de importantes organismos internacionais. Ou seja, estamos ferrados. Mas não estamos sozinhos…

PERGUNTINHA

O que você achou da surpreendente declaração do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, fazendo coro com o presidente Bolsonaro e colocando a culpa pelo alto preço dos combustíveis nos governadores, que não baixam o ICMS?

Os comentários estão encerrados.