A GANÂNCIA E AS NOSSAS RIQUEZAS: POR ELES ANDARÍAMOS NUS, PASSARÍAMOS FOME E VIVERÍAMOS COMO SE VIVIA HÁ SÉCULOS ATRÁS

Artigo editado em: 9 de maio de 2022

NANICOS VÃO RECEBER, CADA UM, QUASE 3 MILHÕES DO FUNDO PARTIDÁRIO E O UNIÃO BRASIL ENCHE SEUS COFRES COM 770 MILHÕES
7 de maio de 2022
UM TRISTE RETRATO DA AMAZÔNIA, ONDE GENTE SIMPLES É ENGANADA E PROIBIDA DE TRABALHAR PARA SOBREVIVER
11 de maio de 2022

Eles não desistem. Querem porque querem mandar na Amazônia, claro que não para preservá-la, mas para usufruir das riquezas que estão no nosso subsolo. Gostariam que os 22 milhões de Amazônidas caíssem fora, que fossem para os quintos dos infernos, para que eles pudessem tomar conta dela e fazer o que bem pretendessem. Quase conseguiram, nos tempos do petismo, quando abrimos as pernas para os estrangeiros e seus milhões de dólares angariados em seus países, dizendo que nós, brasileiros, estamos destruindo a floresta, que, na verdade, dizem, é deles e do mundo. Destruíram tudo o que podiam em seus países e agora exportam ONGs, atrás das riquezas alheias, para tomá-las, em nome da pretensa preservação ambiental. Quando podem, usando o aparelhamento em várias entidades e instituições brasileiras; associam-se aos ideólogos, alguns apenas usados, outros apenas ingênuos. São os malandros, que querem mesmo é ganhar dinheiro, numa campanha internacional para que o mundo se alie a eles, na intenção de internacionalizar a Amazônia e atender à sua ganância. As armas usadas são múltiplas. Na área da mídia e da informação, vê-se a parcialidade com que o assunto é abordado e a busca insana de criminalizar o Brasil, como se vivêssemos unicamente para destruir nossa floresta. Há sim, aqui e ali, muitos madeireiros, garimpeiros ilegais e invasores de áreas protegidas. Mas, nós, os brasileiros, criamos leis para controlar essas aberrações e puni-las. Não precisamos de pitacos de artistas de Hollywood, que não têm a mínima ideia do que acontece de verdade e jamais abriram a boca para denunciar a destruição ambiental ao seu redor. Esses ingênuos, usados pelos malandros que estão de olho é no subsolo, riquíssimo em minerais poderosos, que temos na nossa Amazônia, certamente não sabem o desserviço gratuito que estão prestando a esses amantes da fortuna e não da floresta. 

O último ataque, recheado de desinformação e desrespeito à verdade, porque dá apenas um lado do complexo tema, é uma versão da famosa National Geographic, obviamente em defesa dos interesses internacionais e das ONGs que dominam nossa região. Apenas com um lado das versões, “informam” que as hidrelétricas do rio Madeira afetam gravemente o meio ambiente na região. Nenhuma palavra sobre os benefícios, porque, é claro, tais textos, este e muitos outros, apenas fazem suas análises como se não houvesse pessoas vivendo aqui. Imagina-se que a intenção é dizer que a solução seria que ninguém morasse em Rondônia e que ninguém fosse beneficiado pela energia limpa das hidrelétricas e que elas não atendessem também milhões de brasileiros de outras regiões. Eles gostariam que aqui fosse só mato, que os moradores andassem nus, passassem fome, vivessem como há séculos passados e que todas as nossas riquezas fossem preservadas, para que ELES e só ELES, pudessem explorá-las. Ainda bem que não se dá, ao menos entre os brasileiros sérios e de bem, qualquer credibilidade a este tipo de gente e a este tipo de mídia.

PREFEITO DESTACA OBRAS, CRITICA VEREADORA SINDICALISTA E ELOGIA APOIO DE MARCOS ROCHA À CAPITAL

Foi mais de uma hora de perguntas dos Dinossauros e dos ouvintes. Nenhuma pergunta ficou sem resposta. O prefeito Hildon Chaves participou, nesta segunda, do programa Papo de Redação, na Rádio Parecis FM e abordou diversos temas. Chegou a se irritar quando respondeu sobre o caso do reajuste de servidores, que a Prefeitura teve que corrigir, quando criticou duramente a vereadora e dirigente sindical Elis Regina, afirmando que ela e outras pessoas tentaram colocar, por baixo dos panos, o que ele chamou de “jaboti” e depois ampliou para “uma enorme tartaruga marítima”, a inclusão de um detalhe no projeto de reajuste que dava à vereadora, servidora pública e a um grupo de cerca de 500 outros funcionários da Prefeitura, um reajuste acima de 56 por cento. Ele agradeceu à ampla maioria dos vereadores (só Elis Regina foi contra!), o apoio para corrigir a injustiça que seria perpetrada contra os cofres públicos. Hildon dedicou grande parte do tempo em que esteve no ar na Parecis, para falar sobre obras, destacar a parceria com o Governo do Estado e elogiar o governador Marcos Rocha que, repetiu, é o primeiro governante rondoniense, em décadas, que, segundo suas palavras, “não governou de costas para a Capital, mas, pelo contrário, se tornou grande parceiro dela”!

CAPITAL RECEBEU 100 MILHÕES DE REAIS DO ESTADO, QUE JÁ ESTÃO EM SEUS COFRES E TERÁ MAIS 103 MILHÕES PARA OBRAS

Hildon lembrou que além dos 100 milhões de reais liberados pelo Governo de Rondônia, que já estão nos cofres da Prefeitura para, entre outras coisas, pavimentar cerca de 230 quilômetros de ruas em Porto Velho, beneficiando moradores de 32 bairros, outros 102 milhões, também do Estado, serão aplicados em muito mais obras públicas na cidade. Ao responder perguntas dos ouvintes, informou que as ruas que ainda não foram asfaltadas o serão, até o final do seu governo. Lembrou que em menos de seis anos administrando a cidade, já foram realizados 400 quilômetros de asfalto, 120 quilômetros apenas no ano passado. Hildon destacou as grandes obras de infraestrutura da Capital, o grande projeto de implantação do sistema de água e esgoto, que começa daqui a algum tempo; as 28 obras que estão em andamento hoje, simultaneamente, em toda a Porto Velho e deixou claro seu sonho de que, quando encerrar seus dois mandatos, terá transformado completamente, para muito melhor, a maior cidade de Rondônia. O Prefeito respondeu aos questionamentos dos Dinossauros numa entrevista feita de forma presencial e por pelo menos duas dezenas de perguntas feitas pelos ouvintes. Dezenas de outros questionamentos não puderam ser feitos, por causa do tempo esgotado do programa.  

CAMPANHA SE AMPLIA COM A CHEGADA DOS RECURSOS DO FUNDO PARTIDÁRIO. E GRUPO PALACIANO CONTINUA OTIMISTA

Nos próximos dias, começa a esquentar muito mais a campanha política no Estado. Ela já está nas ruas, disfarçada de pré-candidaturas, mas a verdade é que a corrida pelo voto já é real e presente em todas as regiões de Rondônia. Aliás, o mesmo raciocínio vale para todo o país. As coisas vão esquentar a partir das próximas semanas, com o início da liberação dos recursos provenientes do Fundo Partidário. Todos os partidos terão que registrar um CNPJ, para receber os valores e posteriormente prestar contas dos seus gastos à Justiça Eleitoral. Também em Rondônia, o partido que terá a maior fatia financeira do Fundo será o União Brasil, comandado no Estado pelo governador Marcos Rocha. Ainda não foi divulgado o valor exato que a sigla receberá no pacote em que o diretório nacional terá, para repartir nos Estados, nada menos do que 770 milhões de reais. Enquanto isso, pelos lados palacianos, o otimismo continua vigorando, em relação à reeleição de Rocha. O apoio que o Governador vem recebendo de todas as regiões do Estado, baseiam tal otimismo. O grupo palaciano contava com o apoio de pelo menos 30 prefeitos, na última análise feita. Nos próximos dias, ouve-se, haverá outras boas notícias vindos do grupo político que comanda o Estado. Esperemos, pois!

LÉO MORAES CONSOLIDA SEU NOME PARA O GOVERNO E TEM TRÊS OPÇÕES PARA SEU VICE, VINDOS DO INTERIOR DO ESTADO

Animado, cheio de planos, conversando em várias frentes, recebendo pesquisas (que não podem ser divulgadas, mas servem para orientação interna) que lhe dão uma boa base do que pensa o rondoniense, o deputado Léo Moraes pavimenta sua candidatura ao Governo do Estado. O jovem parlamentar, que tem na Capital sua principal base eleitoral, está buscando parcerias no interior, para reforçar seu nome em todos os quadrantes do Estado. Uma parceria, já consolidada com a deputada Jaqueline Cassol, candidatíssima ao Senado, foi apenas o primeiro passo. Léo está conversando, por exemplo, com três importantes lideranças do interior, cujos nomes obviamente ainda não divulga, para que possa escolher um deles como seu vice. A intenção, diz o candidato do Podemos, é formar uma frente partidária forte, consistente, recheada de nomes quentes da nossa política e da vida pública rondoniense, para fortalecer a candidatura que, segundo Léo, “se mostra a cada dia mais sólida e com maior apoio da população”. Léo não está para brincadeira! Vem firme para a corrida pelo Palácio Rio Madeira/CPA.

MARCOS ROGÉRIO PREFERE EXPEDITO, MAS O PL AINDA PODE OPTAR POR BAGATTOLI PARA O SENADO?

Não é definitivo, porque tudo ainda pode mudar até as convenções de agosto. Mas se a decisão final fosse hoje e valesse o sentimento pessoal, o pré-candidato ao Governo pelo PL, o senador Marcos Rogério, já teria seu candidato preferido à única vaga a que Rondônia tem direito, exatamente para o Senado da República. Rogério deixou claro isso, em entrevistas à mídia nos últimos dias, garantindo que seu candidato será Expedito Júnior, seu parceiro na política desde a última disputa eleitoral. A posição do presidente regional do PL e candidatíssimo ao Palácio Rio Madeira pode mudar, contudo. Há a possibilidade concreta de que lá na frente, o PL decida lançar o megaempresário do agronegócio, Jaime Bagattoli, para concorrer à vaga. Expedito ficaria no páreo, mas daí disputando o Senado pelo PSD, partido comandado no Estado pelo filho dele, o deputado federal, candidato à reeleição, Expedito Neto. Experiente na política, bom de voto e conhecedor da guerra das urnas, Expedito imagina que quanto mais candidatos ao Senado houverem, melhor para ele, pela pulverização dos votos. Esperemos para ver no que vão dar essas decisões, ainda muito distantes do pleito.

SAIDINHA DE PRESOS: NÃO VALE PARA OS MAMÃES ASSASSINADAS NEM PARA OS FILHOS MORTOS POR BANDIDOS

Há quem defenda a progressão de pena para quem está preso. Logicamente que nos casos de delitos leves, de presos primários, daqueles que podem ser recuperados, não se pode criticar. Mas o problema é que a lei de execuções penais beneficia não só os que praticaram crimes leves e são primários, mas também os reincidentes. Por exemplo: podiam sair para comemorar os Dia das Mães, detentos primários que já cumpriram um sexto da pena, têm bom comportamento e cumprem várias outras exigências. Mas reincidentes que cumpriram um quarto da pena, também são beneficiados. Ora, o sujeito que cometeu dois, três ou mais crimes, têm o mesmo direito do que os primários. Na verdade, há muita hipocrisia e injustiças nestas decisões que a Justiça é obrigada a cumprir, pela legislação benevolente com o crime, que premeia o sistema prisional brasileiro. Quando acontecem estes benefícios, com saídas para Dia das Mães, Natal, Ano Novo e outras comemorações, é sempre bom lembrar que muitas vítimas, algumas aleijadas e tantas outras mortas, não têm mais como comemorar nada. No Dia das Mães, enquanto criminosos vão comemorar com suas famílias, muitas mães não têm mais seus filhos para abraçar; muitos filhos não têm mais mães para homenagear, porque tanto uns quanto outras, foram vítimas dos bandidos, alguns deles que terão uma longa vida e serão beneficiados por uma série de leis que os protegem, mas que jamais protegeram suas vítimas.

CORRIDA PELA ASSEMBLEIA: QUINTETO DE MULHERES PODEROSAS TEM CHANCES REAIS DE CHEGAR LÁ

Quantas mulheres vão ocupar cadeiras na próxima legislatura da Assembleia Legislativa? O assunto é frequente, nas conversas sobre política, quando se aborda a questão da ampliação da presença feminina no parlamento rondoniense. Atualmente, apenas Rosângela Donadon (de Vilhena) e Cássia dos Muletas (de Jaru). Todas as demãos 22 vagas são ocupadas por homens. Para a eleição deste ano, há quem aposte, desde já, que este número irá, no mínimo, duplicar ou até aumentar mais ainda. Para esse raciocínio, comenta-se que mulheres com chances reais de eleição estão em número bem maior, na corrida de outubro próximo, do que na disputa anterior. Os nomes mais citados, até agora, são os da primeira dama de Porto Velho, Ieda Chaves; da ex-prefeita de Cacoal e também ex-deputada, Glaucione Rodrigues; da ex-prefeita de São Francisco do Guaporé, Gislaine Lebrinha e, ainda, das atuais deputadas. Obviamente que muitos outros nomes vão surgir, até porque haverá candidatas muito fortes em nível regional, que ainda não são conhecidas em todo o Estado. Mas, neste momento, entre as poderosas mulheres que já se apresentaram para a corrida pelo parlamento rondoniense, não há dúvida de que este quinteto sai na frente, com possibilidades concretas de eleição. Vamos ver se, na hora das urnas, essas previsões se confirmam ou não.

PERGUNTINHA

Qual sua opinião sobre a decisão da Petrobras em aumentar o litro do óleo diesel em quase 40 centavos, mas não reajustar o preço do litro da gasolina?





Os comentários estão encerrados.